2016, o ano X para as agências digitais

2016, o ano X para as agências digitais

2016 será o ano em que muita agência digital precisará se reinventar para se manter no mercado

2016 será o ano em que muita agência digital precisará se reinventar para se manter no mercado.

Alguns me “chamam” de louco quando me ouvem dizer que muitas agências digitais simplesmente irão sumir do mercado em 2016, mas a verdade é que vivemos em um momento de mudança mundial no marketing digital e quem não se atentar a essa mudança vai sumir do mercado.

Mas por que isso vai acontecer?

Sites, apps, blogs, sistemas, são importantes mas são parte de um processo onde a estratégia é a rainha, as agências digitais acabaram se tornando produtoras de ferramentas, quando na verdade precisam entender as dores dos clientes e traçar estratégias voltadas a sanar diretamente essas “dores”.

Do que adianta fazer um site super bonito, com UX ( User experience / experiência do usuário ), sistemas integrados, widgets de redes sociais se ele conversa mais com o dono da empresa do que com os seus clientes?

Agências precisam servir ao público sim, mas não a qualquer preço

 É necessária uma grande dose de coragem para levar o cliente a entender que o seu papel é entregar algo que o cliente dele necessita e não o que ele quer, a maioria dos atendimentos e donos de agências simplesmente querem agradar ao cliente de qualquer jeito e colocar no ar da forma que ele acha necessário. Isso é um grande erro.

Lembre-se de que nós, profissionais de marketing em geral, e do marketing digital em particular, temos o dever de entregar resultados aos nossos clientes. Sei da importância da visão do dono da empresa no desenvolvimento dos canais online, mas ao longo dos 10 anos de atuação no digital aprendi que o cliente final é que precisa ser ouvido e respeitado. Mesmo porque não se faz mais um canal online apenas com um briefing; um canal é um ponto de venda da empresa, seja focado na venda da marca, de serviços e/ou de produtos, mas a questão é: precisamos enxergar o canal como um meio e não fim.

A ‘miopia’ do mercado digital

Achou curioso? Entao se prepare, pois vou citar alguns exemplos de miopia no mercado digital.

1) Tenho um site maravilhoso, superbonito, mas que não recebe nenhum pedido de orçamento ou contato para gerar relacionamento e vendas;

2) Minhas redes sociais tem muitos likes e seguidores mas não revertem nem em tráfego para o meu site e nem vendas , ou sequer pedidos de orçamentos;

3) Tenho um app da minha empresa que foi baixado mas é pouco utilizado;

4) A minha agência digital me disse que tenho que ter um e-commerce, mas eu não conheço o processo de funcionamento de um, e nem essaa empresa me dá uma consultoria de como implantar, porque ela “só” desenvolve.

Viu só?

É preciso tomar cuidado com os tipos de atitudes listadas acima. Os profissionais de marketing precisam saber fazer uma leitura das necessidades do cliente, relacionando-as às necessidades de seu público-alvo; afinal  é importante uma boa estratégia de marketing de atração ( inbound marketing ), construção de autoridade da marca ou da pessoa ( profissional ), marketing one to one ( novidade ainda no Brasil) e, se possível, usar técnicas de internet das coisas (grande tendência mundial em marketing).

Conteúdo (com estratégia) é rei

Outro fato a se atentar é sobre como é desenvolvida uma estratégia de inbound marketing, com landing pages, páginas de captura, páginas de vendas, e-books, iscas e/ou imãs digitais, enfim, tudo isso que se populariza na internet, mas que deixou uma coisa muito importante  esquecida…..o conteúdo realmente relevante.

Desse modo, temos um enxurrada de materiais disponíveis, mas em sua maioria com baixa qualidade.

Sempre fazer conteúdo com originalidade

Usar técnicas de captura de e-mails ainda funciona bem, mas se você quer ter bons resultados com essa estratégia é bom analisar bem o seu cliente, saber exatamente quantos e-mails enviar por semana, escrever e-mails mais pessoais e menos ctrl+c / ctrl+v, ou seja, fazer algo diferenciado e que realmente possa engajar.

Uma dica que dou aqui é você deixar aberta a possibilidade de a pessoa baixar o seu material sem necessariamente ter que cadastrar o seu e-mail.

O dilema de uma lista

Mas como assim Anderson e a minha lista, como vou fazer?

Sim, é isso mesmo sem lista, entra aqui uma estratégia de médio prazo com resultados duradouros é que a de construção de autoridade, onde as pessoas passam a seguir você pelo o que entrega e representa a elas, desta forma você terá um engajamento muito maior e com melhores resultados.

Aplico esta estratégia e uso algumas ferramentas como Instagram e WhtatsApp para engajar e ter bons resultados ( 36 k em 4 meses, por exemplo, somente no WhatsApp).

Mas voltando ao assunto das agências quero dizer que hoje atendo clientes de todo o país e sem nenhum funil de vendas ativo, trabalho como consultor de vendas online e mentor de empreendedorismo e atualmente entrego mais soluções que uma grande agência digital com investimento menores da parte do meu cliente e resultados reais e melhores. Ah, e sim: eu conheço as metodologias de inbound, funil de vendas, CTA, gatilhos mentais etc.

Como é possível vencer?

Isso só foi possível, pois depois de muita pesquisa e testes cheguei a um modelo ideal de agência digital escalável que não precisa daquele custo fixo altíssimo para se manter e entregar trabalhos de qualidade para os clientes, não foi fácil chegar a este modelo, mas posso dizer que depois da participação em mais de 600 projetos digitais consegui achar o modelo ideal que me fez crescer mais de 300% em 2015 e que nos primeiros meses de 2016 já mostra grandes resultados.

Comecei a replicar o modelo de negócios nas empresas de alguns mentorados e o resultado tem sido muito satisfatório,  com muitos deles já colhendo os frutos da metodologia.

Minha dica especial

Se você é dono de uma agência digital, trabalha em uma ou pensa em montar uma, deixo uma superdica aqui: “menos operacional e mais estratégia”. Além disso, usem a força do digital para os clientes, e, principalmente, seja o seu case de sucesso

Abraços


Fonte: Artigos Administradores / 2016, o ano X para as agências digitais

Os comentários estão fechados.