5 atitudes erradas que destroem suas finanças e afastam você de uma aposentadoria confortável

5 atitudes erradas que destroem suas finanças e afastam você de uma aposentadoria confortável

Procure evitar estes pontos e tenha uma vida financeira muito mais equilibrada

Gostaria de mostrar algumas práticas que, apesar de parecerem elementares, são cometidas por boa parcela da população brasileira, e que as levam para o superendividamento. É primordial que as pessoas evitem estas formas de agir, e busquem maiores informações sobre como manter suas vidas financeiras balanceadas entre o que é importante hoje, e o que se deseja para o futuro. 

  1. Não fazer o controle de suas receitas e gastos

Há um certo ditado popular que diz: “o pior cego é aquele que não quer enxergar”. Ao deixarem de controlar suas finanças na ponta do lápis, as pessoas agem como o tipo de cego exemplificado no ditado.

Ao não saberem o que ganham e o que gastam, vão levando suas finanças da forma que for possível, pagando as contas que forem possíveis pagar, o que pode levar os nomes delas para os serviços de proteção ao crédito.

Nestes tempos de crise e inflação elevada, é imprescindível registrar cada e entrada e, principalmente, cada saída de dinheiro. Assim, é possível verificar em quais áreas as pessoas estão gastando mais e onde é possível enxugar, para que sobre algum dinheiro ao fim do mês.

  1. Gastar absolutamente tudo o que ganha, sem reservar uma pequena parte para o futuro

Neste ponto, gosto muito de citar uma máxima do mundo das finanças pessoais, que é: ao receber o seu salário, pague a si mesmo primeiro.

E a aplicação desta máxima tem muita importância, uma vez que nada é mais justo do que você receber um pagamento por todos os esforços que exerceu no mês, ou seja, você merece isto! Ponto.

Enfim, as pessoas não podem gastar tudo o que ganham (e até mesmo o que não ganham) dentro do próprio mês, sem se importar com coisas do tipo: lazer, gastos imprevistos ou aposentadoria. Um centavo poupado hoje pode lhe levar ao milhão de amanhã. 

  1. Fazer compras recorrentes com o cartão de crédito e parcelar

Vejo muitas pessoas que fazem compras recorrentes com o cartão. Para ficar mais claro, cito o exemplo de compras de supermercado (basicamente comida), que são necessárias várias vezes no mês, e que muitas pessoas insistem em pagar com o cartão de crédito, e em muitos casos até parcelam as compras.

No próximo mês, elas terão a fatura do cartão, com as compras efetuadas no mês anterior mais as compras realizadas no mês. Não sei se fui bem claro: mas esta prática simplesmente cria uma bola de neve que deverá ser desfeita de alguma forma, no futuro. E em muitos casos este desmanche da bola de neve se dá da forma mais traumática possível. 

  1. Tomar empréstimos para pagar contas recorrentes

Outro exemplo muito perigoso: pessoas que já se encontram com as finanças estranguladas, se obrigam a tomar empréstimos para pagar contas de energia elétrica, ou água e esgoto, que novamente chegarão no próximo mês. Além de pagarem juros por causa do dinheiro tomado emprestado, as pessoas terão de fazer um esforço superior no mês seguinte, para pagar a parcela do empréstimo e a nova conta que irá chegar.

Neste caso, pode acontecer também a bola de neve citada no item anterior. E é bom lembrar: bola de neve = trauma financeiro no futuro. 

  1. Aplicar as reservas exclusivamente na poupança

É quase inacreditável, mas ainda existem alguns “heróis da resistência” que conseguem poupar algum dinheiro todos os meses. Até aí, tudo bem, estas pessoas estão de parabéns.

No entanto, simplesmente por não buscarem informações e atualizações, ou por puro comodismo, estas pessoas jogam suas economias nas cadernetas de poupança dos principais bancos do país.

Sinto muito informar, mas este dinheiro deixado na poupança não está trabalhando a seu favor, e por um simples motivo: a poupança rende cerca de 7% ao ano, enquanto a inflação atual está comendo nosso poder de compre em 9,5% ao ano! A conta simplesmente não fecha, pois, ao depositar 1000 reais na poupança, você terá o equivalente a 750 reais daqui a um ano. Isto é inadmissível.

Portanto, hoje existem inúmeras alternativas à poupança, com o mesmo perfil de risco e rendendo mais do que o dobro do que a ela paga.

Se você pratica um ou todos os pontos elencados acima, aconselho urgentemente parar e fazer uma revisão dos seus conceitos, para poder iniciar uma vida financeira muito mais equilibrada.

E se gostaria de mais algumas dicas sobre como fazer para evitar estas práticas, me escreva, que estarei à disposição para ajudar no que for possível.


Fonte: Artigos Administradores / 5 atitudes erradas que destroem suas finanças e afastam você de uma aposentadoria confortável

Os comentários estão fechados.