7 sinais de que a cigarra está tentando sabotar o formigueiro

7 sinais de que a cigarra está tentando sabotar o formigueiro

Considerando que são vários os indícios e que não é necessário arrolar todos eles para comprovar a sabotagem da cigarra em relação ao formigueiro, este texto apontará 7 dos principais desses indícios.

Fim de feira para o lulopetismo, e o país vislumbra um novo começo, no qual se espera que o jeitinho não suplante mais as ações planejadas, tampouco a “malandragem” se sobressaia em relação ao trabalho árduo, porém digno.

 

Porém, e como não poderia deixar de ser, quem se locupleta do que é dos outros não aceita o fim da feira e começa a tumultuar. Tal é o caso de Lula, Dilma e sua turma, representada por centenas de “movimentos sociais” que operam como células de um grande “exército” custeado, pelo menos, em grande parte com recursos provenientes de nossos tributos e de nossas empresas estatais. Para quem tiver curiosidade acerca dessa constatação, o Portal da Transparência (www.transparencia.gov.br) dispõe dos dados de repasses de verbas públicas para convênios firmados entre o governo federal e algumas dessas linhas auxiliares.

 

E quais são os indícios de que a cigarra pós-moderna, que se traveste de Marx e que prega humildade e solidariedade, mas que não dispensa um Iphone e uma regalia com o dinheiro público, vem tentando sabotar o formigueiro?

 

Pois bem. Considerando que são vários os indícios e que não é necessário arrolar todos eles para comprovar a sabotagem da cigarra em relação ao formigueiro, seguem 7 dos mais nítidos e prejudiciais ao nosso país neste momento:

 

  1. A elevação de diversos gastos públicos às vésperas da saída do poder, tal é o caso de Dilma em relação ao reajuste do Bolsa Família, em que pese o déficit crescente das contas públicas;
  2. A recorrente ação de linhas auxiliares do PT, como CUT, MST, MTST, UNE e UBES, contra o direito de ir e vir de cidadãos, como ocorre em relação à ocupação de estradas e bloqueio de vias urbanas;
  3. A ocupação seletiva de instalações públicas, como escolas administradas por governos de adversários políticos, sob a alegação de que se trata de “protesto” contra a corrupção e em defesa da democracia (por que ninguém ocupou a Petrobras quando o Petrolão veio à tona?);
  4. As constantes tentativas de aliados do governo em sabotar o regular funcionamento do processo político-jurídico de impeachment, a exemplo do que ocorreu nesta data (09/05/2016), quando o então Presidente Interino da Câmara dos Deputados tentou anular tal processo;
  5. As constantes perseguições e ofensas a apoiadores do impeachment, como se sucedeu com Janaína Paschoal, Miguel Reale e Hélio Bicudo;
  6. A tentativa de desmoralização de instituições de Estado e de pessoas ligadas a ela, como vem ocorrendo com o Poder Legislativo e o juiz Sérgio Moro, numa total demonstração de menoscabo e desacato aos elementos constituintes de uma república democrática como a nossa; e
  7. O súbito silêncio do Messias do projeto de perpetuação de poder que está prestes a ruir. Quem estuda o lulopetismo sabe que ele não se cala, tampouco retrocede. O seu objetivo maior é a supressão de seus opositores, nem que seja preciso “fazer o diabo” para tanto. Portanto, é preciso cautela com a incoerência desse silêncio.

 

Por derradeiro, fica a ressalva já apontada em outras ocasiões por este que lhes escreve de que os 13 anos de governos PT devem ser objeto de uma ampla, criteriosa e isenta ação de auditoria das contas e da dívida pública federal, a fim de passar a limpo a real situação do país que será assumido por Michel Temer a partir desta semana.

 

Um forte abraço a todos, sobretudo à estimada Lívia pelos insights a este texto, e fiquem com Deus!


Fonte: Artigos Administradores / 7 sinais de que a cigarra está tentando sabotar o formigueiro

Os comentários estão fechados.