A burocracia ou numerocracia brasileira

A burocracia ou numerocracia brasileira

Vivemos em uma burocracia imensa que nem nos damos conta da numerocracia existente e que também toma nossas vidas. Pior do que isto é a ineficiência por trás de tudo isto

Quando nascemos nossos pais vão ao cartório onde é feito nosso registro. Recebemos, então, um documento chamado Certidão de nascimento, que embora receba alguns números não são muito utilizados.

Posteriormente, precisamos de um documento oficial com foto e fazemos um RG (Registro Geral), onde há um número, que varia de acordo com o estado, mas no Paraná são 8 dígitos.

Para abrirmos uma conta em banco precisamos de um CPF (Cadastro de Pessoa Física), que é um número de 11 dígitos.

Aos 16 anos, podemos votar e para isso precisamos de um Título Eleitoral, que possui um número de 12 dígitos.

Para podemos trabalhar legalmente, também aos 16 anos, fazemos uma CTPS (Carteira de Trabalho e Previdência Social), que possui um número de PIS (Programa de Integração Social) ou PASEP (Programa de Formação do Patrimônio do Servidor) no caso de funcionários públicos. Este número possui 11 dígitos, e para piorar, o PIS/PASEP também pode ser chamado de NIS ou NIT se a pessoa participar de algum programa social.

Após os 18 anos podemos ter uma CNH (Carteira Nacional de Habilitação) que, possui um registro de 11 dígitos, e nos dá o direito de dirigir.

Se for homem, também aos 18 anos, é preciso alistar-se ao exército, e você receberá um RA (Registro de Alistamento), com 11 dígitos.

Com qualquer idade, também podemos fazer um CNS (Cartão Nacional de Saúde), com um número de 15 dígitos, para poder usufruir dos serviços públicos de saúde.

Decorou todos os seus 79 dígitos? Para muitas pessoas já é difícil lembrar dos 8 documentos citados, sendo que destes, pelo menos 5, são obrigatórios.

O que me pergunto é se, sendo todos estes documentos emitidos por órgãos públicos, não poderiam ter um número unificado?


Fonte: Artigos Administradores / A burocracia ou numerocracia brasileira

Os comentários estão fechados.