A crise, o jogo "Simcity" e os municípios brasileiros: qual a ligação?

A crise, o jogo “Simcity” e os municípios brasileiros: qual a ligação?

A crise econômica deixou de ser apenas notícia e passou a ser realidade para muitos brasileiros que foram atingidos nos mais diversos setores da economia. Uma coisa é certa: ninguém quer pagar a conta dos outros. E de quem é a culpa, afinal, por esse momento que o país está enfrentando? É o que vamos abordar de maneira sucinta logo abaixo

Antes de falar da crise, deixe que eu lhe pergunte: você gosta de jogos digitais? Não? Se não, com certeza conhece alguém que gosta e já deve ter ouvido falar em um famoso game chamado: “SimCity”. Se a sua resposta foi sim e você já jogou ou conhece a finalidade do jogo, vai entender melhor ainda o ensinamento que ele tem para todos nós e, especialmente, para os gestores de nossas cidades.

O SimCity é um game no qual o jogador deve administrar uma cidade e garantir seu sucesso. O participante assume o papel de prefeito e precisa construir sua cidade do zero. É necessário preparar terrenos, inserir ruas, encanamentos, casas, prédios comerciais, escolas, estádios e por aí vai. A criatividade, planejamento e boa gestão são responsáveis por guiar o crescimento da sua cidade. Ainda não entendeu o que isso tem a ver com a crise? Eu explico.

O jogo é um simulador muito completo, que treina habilidades e que nos mostra que uma má gestão nos leva ao fracasso e infelizmente na vida real não é diferente, só que as consequências são verdadeiramente sentidas na pele por todo o povo (em especial as classes menos favorecidas).

É fato que existe um momento financeiro instável e que vários setores da economia estão sendo atingidos. Você com certeza, assim como eu, já deve ter sentido a alta do preço da gasolina, do gás, da luz e até mesmo visto/ouvido que as vendas caíram em muitas áreas. Mas afinal…de quem é a culpa por toda essa crise? Será o fim de tudo? O país vai naufragar? O que podemos fazer?

Antes de iniciar a reflexão, quero deixar aqui uma mensagem de esperança: acalme seu coração, pois crises existem e existirão e, embora sejam difíceis de suportar, elas passam. O país vai se reerguer, mas é injusto que a conta seja paga tão somente pelo povo, por isso devemos ficar atentos para cobrar atitudes dos nossos representantes públicos. Não adianta culparmos apenas a Presidenta, os Deputados, Governadores e esquecemos que além deles existem as bases da pirâmide: nossos representantes municipais: Prefeito e Vereadores.

A mídia nos mostra todos os dias aumentos em impostos e valores que serão cobrados do povo, cortes em gastos públicos, cancelamentos de programas governamentais e, enquanto isso, os prefeitos e vereadores de nossa cidade assistem ao espetáculo como se não fosse parte integrante… E são! Esse é o momento de ficarmos atentos para o ano vindouro, onde esses mesmos que hoje nada fazem, virão visitar as nossas casas para tentar ganhar nossos votos. 

Vamos refletir? Com algumas mudanças de posicionamento e aliando as estratégias de Gestão do Jogo citado anteriormente é possível conseguir alguma melhora.

No Brasil nós temos cerca de 5570 municípios que fazem parte do todo e poderiam fazer sua parte, mas nem todos agem para melhorar a situação. O que deveria ser feito em todos os municípios (além do que compete aos que estão no topo da pirâmide hierárquica, claro)? Querem um exemplo?

  • Uma análise da situação financeira vigente no município com mapeamento detalhados dos maiores custos operacionais para que possam se planejar e realizar ações que possam vir a  atuar com “remédio” na CAUSA da “ferida” e não apenas “aliviar a dor momentaneamente”;

Partindo dessa premissa, cada Gestor deve encontrar estratégias que sejam adequadas (redução de pessoal, diminuição de salários, contenção de despesas com supérfluo, e tudo que for pertinente) para dar sua parcela de ajuda (leia-se: obrigação) e não deixar que a gente arque com tudo sozinhos.

É inadmissível que nós, cidadãos que batalham arduamente por dias melhores, arquemos com essas contas sozinhos. O próximo pleito se aproxima… Será que os candidatos se dão bem no SimCity? Brincadeiras à parte, façamos boas escolhas e, até lá, vamos COBRAR soluções… Pois é nosso direito.


Fonte: Artigos Administradores / A crise, o jogo “Simcity” e os municípios brasileiros: qual a ligação?

Os comentários estão fechados.