A difícil tarefa de olhar nos olhos

A difícil tarefa de olhar nos olhos

Crianças fazem isso sem tanta dficuldade. Por que deixamos de fazê-lo quando crescemos?

Acredito que como eu, você também deve ter brincado na sua infância do desafio de quem piscava primeiro. Brincadeira ingênua na época, revestida da facilidade que as crianças tem de encarar o seu semelhante sem o sentimento de vergonha ou constrangimento.

Com o passar dos tempos, vamos experimentando muitas sensações na nossa vida, a criança que antes tinha facilidade de encarar qualquer um olhando nos olhos, passa a ter certas dificuldades de adotar este procedimento tão simples. Para muitos, este momento de olhos nos olhos, é a segurança de que pode confiar naquela pessoa.

Esta sensação é explicada cientificamente por experimentos realizados por estudiosos ingleses que detectaram que o cérebro reage com constrangimento quando a pessoa tem algo a esconder, provocando uma dificuldade na postura da pessoa de encarar uma outra quando existe um assunto que ela não se sente confortável, ou mesmo que tem um segredo embutido.

O dito popular se faz real…..

Quem mente não consegue olhar nos olhos da pessoa para quem está mentindo.

Será?

Sabemos que existem pessoas que são dissimuladas e conseguem sim enfrentar as mais diversas situações mantendo uma mentira e sustentando sua versão da história.

Geralmente isso ocorre por que estas pessoas tem um distúrbio do que é real e do que foi por ela inventado. Nosso primeiro impulso é rotular essas pessoas de mentirosas, no entanto, em muitos casos elas não são mentirosas e sim elas deturpam a história e vivem as suas versões das mesmas, e o fazem de tal forma que para elas aquilo são as verdadeiras realidades dos fatos.

Se não conhecermos bem a pessoa, iremos acreditar na sua versão, pois ela é capaz de dar detalhes e se inserir no novo contexto com tantas observações e propriedades que fica muito difícil de perceber que tudo aquilo veio do seu senso de imaginação.

Os mesmos pesquisadores acusaram o mais grave de tudo isso. É que muitas dessas pessoas não tem nenhum distúrbio psicológico (o que por si só retiraria delas qualquer julgamento), ao contrário elas demonstram uma evolução nas suas invenções de tanto se programarem para isso, pode-se dizer então que elas treinam para ser mentirosas.

Ao mesmo tempo, isso é um alento para as pessoas que querem viver num cenário de verdade em seus relacionamentos, pois para que elas possam treinar serem mentirosas, obviamente que elas tem que praticar suas invenções ou mentiras com muita frequência, o que irá possibilitar às pessoas que convivem com elas, detectarem e trabalharem este péssimo habito.

Provavelmente você deve ter uma ou mais pessoas em sua equipe que se assemelham a este quadro, a grande questão agora é se você acredita que vale a pena trabalhar isso nela. Esse pode ser um habito de uma pessoa que é extremamente eficiente em várias atividades e está pratica está prejudicando demais a sua performance ou a sua carreira.

O que fazer?

Existem algumas medidas que podem ser adotadas, destaco dentre elas as seguintes:

– Não caia na tentação de evidenciar a ela que você sabe sobre o quanto ela inventa ou mente, isso de imediato irá afastar a pessoa que você está querendo recuperar;

– Da mesma maneira que ela inconscientemente treina para mentir, comece a treiná-la para falar a verdade, isso pode ser feito sobre experiências que vocês vivem juntos. Basta provocar contar para outras pessoas um determinado momento que vocês estiveram juntos e reparar se ela inventa algo, caso ela invente dê a sua versão dos fatos de uma maneira delicada fazendo com que ela afirme o que aconteceu e comece a se conscientizar de que você está atento;

– Proponha que a pessoa te narre assuntos que vocês vivenciaram e que sejam difíceis de serem alterados, tal como pedir a ela que seja a responsável pela ata de uma reunião e ao acabar a reunião pedir que ela te leia a ata. Caso esteja tudo correto em suas anotações, valorize a percepção dela nos assuntos tratados e evidencie o quanto você gosta da segurança que ela te transmite desta forma;

– Converse com esta pessoa sobre filmes ou qualquer entretenimento que ambos tenham assistido e faça com que ela analise sobre a ótica dela, depois peça para que ela tente interpretar sobre a ótica do diretor do filme e se couber, peça que analise da forma mais neutra possível.

 

 

 

 

Todos esses são exercícios que podem fazer com que a pessoa comece a se sentir segura em falar a verdade. Possibilitando a ela ter uma admiração por praticar a verdade e introduzindo na vida desta pessoa a ótica de que ela pode estar contando a sua verdade e não a sua versão dos fatos.

 

 

Existem muitos outras abordagens para trabalhar este problema, essas são bem bacanas e fáceis de serem feitas. Sei que neste momento você pode estar pensando: “Nossa, mas para que fazer tudo isso? Não é mais fácil desmentir a pessoa e fazer com que ela se explique?”

 

A resposta é sim, logico que é mais fácil matar o problema sem tentar resolvê-lo, porém eu acredito que a função de um líder é poder colaborar para o crescimento de seus liderados e colaborar com sua vida profissional.

 

Se você tem a oportunidade de fazer a diferença na vida de uma pessoa, que tal FAZER!!!!!

Abraço

 

 

 

 

 

 

 


Fonte: Artigos Administradores / A difícil tarefa de olhar nos olhos

Os comentários estão fechados.