A gestão financeira: uma abordagem no processo decisório das organizações

A gestão financeira: uma abordagem no processo decisório das organizações

Gestão Financeira como peça fundamental dentro de uma empresa

Composto de ações e metodologias administrativas que envolvem o planejamento, a análise e o controle das atividades financeiras de uma organização, isto se faz a definição do que é Administração Financeira. Seu objetivo compreende-se na melhoria dos resultados apresentados pela organização, aumentando o valor do patrimônio e na obtenção de lucro líquido derivado das atividades operacionais. Infelizmente, as empresas não realizam uma gestão financeira adequada. Não percebem a real importância que isso se faz.

Uma administração financeira feita de maneia correta, faz com que se permita a visualização da presente situação empresarial. Fatos apropriados permitem uma análise e cooperam com o planejamento para otimização dos resultados.

A ausência da administração financeira pode originar os seguintes problemas: quando não é feito os registros adequados das transações realizadas ocorre a falta das informações sobre saldo do caixa, o valor dos estoques das mercadorias, o valor das contas a receber e das contas a pagar, e o volume das despesas fixas e financeiras. Ocasiona outras problemáticas, como: não saber se a empresas está tendo lucro e/ou prejuízo; não ter o preço de venda calculado corretamente; não saber a origem dos recebimentos, de pagamentos porque não é feito um fluxo de caixa; desconhecer o valor patrimonial da empresa; não administrar com perfeição o capital de giro; e não conseguir fazer uma análise e planejamento financeiro, pois não existe, um sistema de informações gerenciais.

Dentre várias funções da Administração Financeira, estas são as principais: a analise dos resultados financeiros e planejamento de ações necessárias para a obtenção de melhorias; análise e negociação da captação dos recursos financeiros necessários, como a aplicação dos recursos financeiros disponíveis; valores das contas a receber e das contas a pagar, volume das despesas fixas e financeiras; efetuação dos recebimentos e dos pagamentos, afim de controlar o saldo de caixa; ter o controle das contas a receber relativas às vendas a prazo e contas a pagar relativas às compras a prazo, impostos e despesas operacionais.

A Administração Financeira é uma ferramenta utilizada para o controle, planejamento e a análise de investimentos. Visa o desenvolvimento de melhores caminhos para uma boa direção financeira da empresa.

O Administrador Financeiro não pode levar em consideração só os aspectos econômicos, ele precisa estar a par da empresa como um todo. Os resultados econômicos da empresa são reflexos das ações e decisões que são tomadas.

 A administração Financeira deve sempre fazer indagações, explorar ainda mais sua esfera de atuação e mostrar relevância dentro de um negócio. As funções que cabem ao administrador financeiro são: desempenhar uma função operacional, assumindo a responsabilidades de planejamento, execução, organização e controle das atividades financeiras da empresa. Se o administrador financeiro souber gerir bem os seus encargos, faz com que a empresa obtenha sucesso, da mesma maneira que se o mesmo não souber gerir, determinará o insucesso da empresa. O administrador financeiro tem um leque de oportunidades e pode escolher qual ambiente queira atuar, Wernke (2008, p. 5) diz “quer sejam de pequeno, médio ou grande porte, quer tenham finalidade lucrativa ou não, necessitam dos serviços de um gestor de finanças”. Essa necessidade ocorre independentemente do segmento de atuação, em toda empresa há um fluxo de recursos financeiros que requer atenção para que o capital investido tenha retorno (GITMAN,2010).  Algumas das principais funções do administrador financeiro são:

  • Análise, planejamento e controle financeiro: baseado em coordenação das atividades e avaliação da condição financeira da empresa
  • Tomada de decisões de investimento: decisão sobre a destinação dos recursos financeiros para a aplicação em ativos correntes (circulantes) e não correntes (realizável em longo prazo e ativo permanente).
  • Tomada de decisões de financiamentos:captação de recursos diversos para o financiamento dos ativos correntes e não correntes, no que tange todas as atividades e operações da empresa e necessite de capital ou de qualquer outro tipo de recurso para a execução de meta ou planos da empresa.

Catelli (1999, p. 111) fala que a “gestão é o processo de decisão, baseado em um conjunto de conceitos e princípios coerentes entre si, que visa garantir a consecução da missão da empresa”. Enquanto Nakagawa (1998,p.38) diz que a “gestão é a atividade de se conduzir uma empresa ao atingimento do resultado desejado (eficácia) por ela, apesar das dificuldades”.

Uma boa gestão, assegura a empresa a ter uma estrutura financeira equilibrada afim de não coloca-la em risco nem a curto ou a longo prazo. Assegura também, a rentabilidade dos investimentos e garante a existência de capitais financeiros necessários para o desenvolvimento das atividades empresariais.

Tomar uma decisão, sempre causou certas incertezas, fazendo com que sempre fossem tomadas com base em intuições, embasadas em experiências anteriores, acontecimentos passados, ocorrendo em muitos casos, enormes sucessos e em outros enormes desastres.

Para Arnold (1981), encontrar, medir, analisar, otimizar, decidir, observar os resultados e começar o ciclo novamente, a tomada de decisão devia ser executada. Deve ser reconhecido que a emoção é uma forte influência, e que sem a mesma, se perde a vontade de agir, seria como se estivéssemos ligados no “automático”.

Na execução de suas atividades, a Gestão Financeira possui três básicas atividades:  

  • Realizar Análises e Planejamento Financeiro

Consiste em coordenar, monitorar e avaliar todas as atividades da empresa, por meio de dados financeiros, bem como determinar o volume de capital necessário.

  • Tomar Decisões de Investimentos

Destinação dos recursos financeiros para a aplicação em ativos correntes e não correntes, considerando-se a relação adequada de risco e retorno dos capitais investidos.

  • Tomar decisões de financiamentos

Captação de recursos financeiros para o financiamento dos ativos necessários às atividades empresariais, considerando-se a combinação adequada dos financiamentos a curto e a longo prazos e a estrutura de capital.

Fonte: Adaptado de GITMAN, 2001 

Para as organizações acertarem, para que alcancem os seus objetivos e metas e maximizem os resultados, é de suma importância e se faz necessário que a empresa tenha uma excelente gestão financeira, sendo esta conseguida através das ferramentas de gestão: negociação, diagnóstico, planejamento, administração de capital, estruturação, orçamentos e controles, entre outros.

Fica dito que a gestão financeira é um instrumento não só competente, mas sim eficaz na busca por resultados significativos. O administrador ou gestor deve planejar cuidadosamente cada movimento dentro da organização, visto que, o mercado está sempre em constante mudança.

REFERÊNCIAS.

 CATELLI, Armando (coordenador). Controladoria: uma abordagem da gestão econômica – GECON. São Paulo: Atlas, 1999.

GITMAN, L. (2010) Princípios de administração financeira. Editora Pearson Education-Br. 12ªed.

LIZ, Patrícia. SEBRAE. Visão do Empreendedor. A importância da Administração Financeira da Empresa.

NAKAGAWA, Masayuki. Introdução à controladoria: conceitos, sistemas, implementação. São Paulo: Atlas, 1998.

PORTAL ADMINISTRAÇÃO. Administração Financeira e Orçamentária (AFO). Disponível em: http://www.portaladministracao.com/2015/01/administracao-financeira-e-orcamentaria.html. Acessado em: 18.10.205 ás 14:50.

 WERNKE, R. (2008). Gestão Financeira. Ênfase em aplicações e Casos Nacionais – Rio de Janeiro. Editora Saraiva.


Fonte: Artigos Administradores / A gestão financeira: uma abordagem no processo decisório das organizações

Os comentários estão fechados.