A grana encurtou. E agora, José? – Dicas para sair do vermelho

A grana encurtou. E agora, José? – Dicas para sair do vermelho

“Estudos divulgados pela Serasa Experian, revelam que quando avaliadas as dívidas atrasadas há mais de 90 dias e com valores acima de R$ 200,00, os inadimplentes totalizam 35 milhões de pessoas, o equivalente a 24,5% da população brasileira”

“Estudos divulgados pela Serasa Experian, revelam que quando avaliadas as dívidas atrasadas há mais de 90 dias e com valores acima de R$ 200,00, os inadimplentes totalizam 35 milhões de pessoas, o equivalente a 24,5% da população brasileira”.

As razões para termos chegado a esse expressivo e preocupante índice – com tendência a aumentar, estão relacionadas com o estímulo ao consumo desenfreado com facilidades que havia no acesso ao crédito e ao brasileiro renegar atenção a um planejamento financeiro.

Em quase todos os treinamentos sobre educação financeira que aplico aos colaboradores das empresas em que presto consultoria, a maioria não faz o controle das pequenas despesas, que são as principais responsáveis pelo desequilíbrio, uma vez que as maiores estão sempre presentes na lista do mês.

Outro motivo frequente é a resistência às mudanças no comportamento, pois quando se decide partir para um controle bem apurado, fica claro e evidente onde os gastos devem ser cortados e aí, tudo se complica.

Com a instabilidade da economia – também chamada de crise – torna-se necessário cada vez mais, não apenas a austeridade com os números do orçamento individual e familiar, atrelado a novas rotinas, quanto a busca de informações sobre economia, mercado de trabalho e principalmente, tendências para um novo posicionamento.

Lembre-se, segundo Darwin, “não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças”.

CONFIRA AS DICAS PARA SAIR DO VERMELHO:

1. MUDE O RECHEIO

Sabe aquela pizza de quatro queijos? Substitua pela de muçarela. Ao menos temporariamente, pratique a avareza até que volte a ter o domínio das contas, e assim com todas as demais possibilidades de substituições. Alimente-se sempre antes de ir ao supermercado.

2. REUNA A FAMÍLIA

Faça uma administração coletiva e transparente. De nada adianta uma ou duas pessoas encararem a nova realidade se as demais continuarem com as mesmas atitudes. Todos devem se engajar no planejamento e nas mudanças.

3, AUMENTE A CRIATIVIDADE

Opte por programas culturais gratuitos e passeios em parques públicos.
Antes de comprar roupas novas, avalie seu guarda-roupas com muita atenção e faça adaptações com base em dicas de revistas e programas direcionados na TV. Pensou em comprar, pergunte-se com total sinceridade: preciso realmente disso?

4. REDUZA OS CUSTOS DAS DÍVIDAS

Negocie diretamente com os credores. Uma das maneiras de se reduzir os valores de uma dívida é através da portabilidade da mesma, muitas instituições estão preparadas para esse tipo de operação.

5. TENHA UM BOM CONTROLE

Monte uma planilha ou procure na internet algum modelo que tenha mais afinidade. Há também programas gratuitos, fáceis de serem utilizados e com excelentes recursos.

6. FAÇA UMA RESERVA

Tão logo retome o controle e o alívio, inicie imediatamente um plano para guardar dinheiro para eventuais emergências ou compras de um bem desejado e até uma viagem. Uma boa estratégia é retirar 10% das receitas, ‘cegamente’, colocar em uma poupança e administrar demais despesas com os 90% restantes.

7. BUSQUE INFORMAÇÕES E MANTENHA-SE ATUALIZADO

Dê um basta na preguiça e pesquise sobre o assunto. Site recomendado: www.serasaconsumidor.com.br


Fonte: Artigos Administradores / A grana encurtou. E agora, José? – Dicas para sair do vermelho

Os comentários estão fechados.