A nova organização

A nova organização

Frutos de um pensamento dos gestores de novas empresas, principalmente pequenas, que não querem em nenhum momento que a ociosidade invada algum setor da organização…

Há uma tendência no meio empresarial que prega o “multifuncionalismo” como uma opção dos novos funcionários que desejam se mantiver no mercado competitivo.

Frutos de um pensamento dos gestores de novas empresas, principalmente pequenas, que não querem em nenhum momento que a ociosidade invada algum setor da organização, em suas contratações já sinalizam essa preocupação com alguns dizeres: “Aqui temos que fazer de tudo”, “vamos ver onde você se encaixa quando a empresa for crescendo”.

É até compreensivo esse pensamento, se olharmos com o a lupa da pequenez, mas pode ser um fator responsável pelo não crescimento de muitas organizações.

Devido a essa característica impregnada na mente e cultura dos novos colaboradores, existe ai uma brecha para a falta de responsabilidade, e o não cumprimento satisfatório das funções desenvolvidas. Pois quem vai querer apanhar e assumir a culpa pelo mau cumprimento das atividades que são realizadas por todos? E quem vai ser o próximo a assumir outra função, quando não se sabe quem realmente se destaca?

Poderíamos ainda destacar outros desencadeamentos dessa nova cultura difundida e cobrada no século XXI, como a desmotivação, baixo rendimento, dificuldades de medições para se definir padrões de atividades e outros que estarão lembrando agora lendo esse texto.

Mas na verdade não existe receita para o bom funcionamento de uma empresa, ainda mais com o inconstante mundo do trabalho. Para isso os gestores devem sempre estar atentos ao cenário e anseios de seus colaboradores, devendo alocá-los de maneira que os satisfaçam e extraiam o melhor de sua capacidade.


Fonte: Artigos Administradores / A nova organização

Os comentários estão fechados.