A relação pessoal com os bancos no futuro e as novas soluções de gestão capitais

A relação pessoal com os bancos no futuro e as novas soluções de gestão capitais

Já pensou em um futuro onde só existessem moedas virtuais?

Você já se perguntou como será sua relação com o seu banco no futuro? Se não, deve começar a pensar nisso. Estamos diante talvez da maior revolução dos meios de gerenciamento de capitais de todos os tempos.

O dinheiro que temos em nossas carteiras é o resultado de uma longa evolução. Praticamos ao longo do tempo as trocas de mercadorias. Utilizamos sal, grãos, metais simples e preciosos, moedas e cédulas e avançamos para o aumento da utilização das moedas virtuais, como por exemplo, o BitCoin.

As transferências e pagamentos antes realizados por trocas, hoje são realizadas por transferências interbancárias, cartão de débito e crédito. E no futuro o que teremos?

No cenário atual temos soluções que podem nos dar a visão de como será o nosso futuro. Em relação às transferências e meios de pagamentos, temos algumas soluções como Pay-Pal, e o M-PESA. O primeiro é uma solução criada nos Estados Unidos e pioneiro nos serviços de pagamentos online. Este aplicativo guarda os seus dados pessoais e bancários e com essas informações habilitam a possibilidade da realização de pagamentos em crédito e débito, utilizando computadores ou aplicativos em celulares e tablets. A ferramenta online exime o usuário da utilização de cartões, códigos de token ou senhas. Basta informar e-mail e senha do sistema do PayPal e efetuar a compra com poucos cliques e toques.

Já a segunda opção, o M-PESA, é uma ferramenta da Vodafone distribuída por uma subsidiária na África chamada Safaricom que surgiu como solução para a inclusão da população de baixa renda e sem conta bancária aos meios eletrônicos de pagamento. Oferecido inicialmente no Quênia, posteriormente a diversos países da África, avançando para a Europa no final de 2014 começando pela Romênia.

O cliente vai até os postos de atendimento e troca dinheiro por créditos eletrônicos. Estes postos recebem da Safaricom um percentual pela troca. O dinheiro torna-se crédito na plataforma do M-PESA sendo utilizada para compra de créditos em de celular ou faturas. A conta fica vinculada ao número de telefone e é acessível através do aplicativo no cartão SIM do cliente. Estamos falando de serviços com mais de um bilhão de pessoas fazendo transações por celular, dia a dia.

E os investimentos como serão? As pessoas é quem irão dizer o percentual de retorno que querem de suas aplicações, e a metodologia aplicada aos gerenciadores irão analisar o nível de risco, se é adequado ao perfil e decidir qual investimento fazer. Você não vai ter que escolher produtos ou ativos específicos, ele fará isso pra você e lhe trará a rentabilidade desejada.

Ainda pesam contra estas soluções a segurança, ataque de hackers e a confidencialidade das transações, mas em contrapartida temos os avanços tecnológicos nos sistemas, nos tablets e smartphones, hoje munidos de criptografia e biometria. No passado, quando a internet chegou, existia certa rejeição com os pagamentos online o que já não existe mais.

Estamos diante de uma grande revolução, onde veremos os bancos vendendo cada vez mais tecnologia e menos produtos. Comece a dar adeus ao seu gerente de conta, aquelas cansativas visitas as agências bancárias, as cédulas em sua carteira e as moedas no porta-copos do seu carro. Sim, eles vão sumir.

Anderson Passos é graduado em administração de empresas, pós-graduado em Finanças, Controladoria e Auditoria e co-fundador da MobiTech, uma agência de publicidade com ênfase em soluções mobile e digital 


Fonte: Notícias Administradores / A relação pessoal com os bancos no futuro e as novas soluções de gestão capitais

Os comentários estão fechados.