Alemã decidiu abandonar apartamento e viver em trens

Alemã decidiu abandonar apartamento e viver em trens

“Tudo começou com uma briga que eu tive com meu senhorio. Eu instantaneamente decidi que não queria morar mais ali – e então eu percebi: Na verdade, eu não queria mais morar em lugar algum”, disse ela

Leonie Müller não é uma pessoa que vive de maneira normal. Quando todas as pessoas de Colônia, na Alemanha, descem do trem para ir para casa, a jovem de 23 anos fica. Isso, porque ela já está em casa.

“Tudo começou com uma briga que eu tive com meu senhorio. Eu instantaneamente decidi que não queria morar mais ali – e então eu percebi: Na verdade, eu não queria mais morar em lugar algum”, disse Leonie. Assim, ela desistiu do seu apartamento e comprou um pacote mensal que permite que ela entre em qualquer trem do país de graça: gasta cerca de R$ 1.400, ao invés de R$1.670 do apartamento que morava.

“Eu realmente me sinto em casa quando estou em trens, e ainda posso visitar mais amigos e cidades. É como estar sempre de férias”, disse Müller para o Washington Post. “Eu quero inspirar pessoas a questionar seus hábitos e coisas que elas consideram normal. Sempre existem mais oportunidades do que você imagina. A próxima aventura está te esperando, desde que você encontre”, aconselha ela.

Sua escolha rendeu até atenção na mídia alemã, aparecendo em vários jornais e noticiários. “Eu leio, eu escrevo, eu fico olhando pela janela e eu conheco pessoas legais o tempo todo. Tem sempre algo para se fazer nos trens”, revelou ela em uma das entrevistas para a imprensa da Alemanha. Seus pertences agora cabem em uma mochila: algumas roupas, um tablet, documentos e uma bolsa para objetos de higiene pessoal. E é assim que ela vive: lava seu cabelo no banheiro do trem e faz seus trabalhos da universidade enquanto viaja a mais de 300 quilômetros por hora.

Na maioria das vezes, Müller viaja de noite, mas aproveita seu estilo nômade para passar algumas noites dormindo na casa da mãe, da avó e do namorado. “Normalmente, nós teriamos um relacionamento à distância, mas viver em trens me deu a oportunidade de vê-lo o tempo todo”, revela ela. “A maioria dos meus amigos adoraram a ideia, apesar de alguns considerarem aventureiro demais. Outros, porém, reagiram de maneira negativa: eles se sentem ofendidos por eu questionar a forma comum de viver”, desabafa.

A experiência deixou de ser um estilo de vida e agora também está alinhada à universidade: a jovem está documentando tudo em seu blog (em alemão) e seu trabalho final será baseado em sua vida como uma nômade moderna. A única dificuldade? “Achar fones de ouvido que consiga diminuir os sons ambiente”, brinca ela.


Fonte: Notícias Administradores / Alemã decidiu abandonar apartamento e viver em trens

Os comentários estão fechados.