Algumas informações sobre ser empresário que seu advogado pode não ter lhe dito

Algumas informações sobre ser empresário que seu advogado pode não ter lhe dito

Independentemente do tamanho de sua empresa e, ainda que você seja o único investidor/funcionário/administrador, sua atividade terá diversas implicações jurídicas com seus clientes, seus fornecedores e outros entes interessados no desenvolvimento do seu negócio. Você já ouviu falar em todas elas?

O momento é muito propício para o empreendedorismo no Brasil. Com a taxa de desemprego aumentando cada vez mais, e atingindo em agosto de 2015 a marca de 7,6% (a maior desde 2009 segundo o IBGE) abrir o seu próprio negócio tem sido uma alternativa altamente viável para a recolocação dos profissionais no mercado.

Esses pequenos e médios negócios são responsáveis por 52% dos empregos formais do Brasil, já são responsáveis por 37,2% das vendas para o Poder Público no ano de 2015.

Por mais que seu negócio seja pequeno e você seja o único investidor/funcionário/administrador sua atividade terá diversas implicações jurídicas com seus clientes, seus fornecedores e outros entes interessados no desenvolvimento do seu negócio.

Entre essas implicações, selecionamos 05 das mais comuns em nossos clientes, veja a lista e responda se você já pensou nisso:

  1. Abrir um negócio é complexo. Apesar de todo o incentivo e desburocratização da abertura de empresas no Brasil, abrir um negócio envolve muito mais do que conseguir um cadastro CNPJ. São implicações das mais diversas que envolvem sua ideia, seus projetos e seus investimentos. 
  2. Estruturar seu negócio é importante!: Diferenciar a pessoa do empresário do próprio negócio, inscrever a empresa no CNPJ para que ela possa contrair direitos e obrigações sem misturar;
  3. Você vai pagar alguns tributos! Os tributos no Brasil tem natureza compulsória, ou seja, independem da sua vontade de pagá-los e, para ter um negócio, você precisará pagar alguns tributos. Além disso, pagar tributos faz parte da natureza da empresa.
  4. Se você não se proteger, sofrerá com inadimplência. Essa vale principalmente para os prestadores de serviço. No Brasil primeiro se realiza o serviço e depois se recebe o valor avençado, ocorre que muitas vezes os empresários não detém instrumentos (contratos, pedidos, relatórios) que embasem uma cobrança e acabam sofrendo com os inadimplentes.
  5. Ser empresário/empreendedor custa caro, ser desorganizado ou relapso custa mais caro ainda. Como afirmamos, os tributos no Brasil são compulsórios, você precisará pagar alguns deles, precisará contratar um contador e alguns fornecedores, precisará fazer alguns registros e, caso não se preocupe com isso, pode ter de pagar um preço ainda mais alto quando alguma coisa sair fora do “planejado”.

Ainda que seja complexo, desenvolver um negócio é uma tarefa que poucas pessoas tem coragem de enfrentar. Pensar nessas implicações enquanto estrutura o seu negócio lhe darão segurança e solidez para encarar os desafios que virão pela frente.

Publicado originalmente no site do autor


Fonte: Artigos Administradores / Algumas informações sobre ser empresário que seu advogado pode não ter lhe dito

Os comentários estão fechados.