As ações e o nosso destino

As ações e o nosso destino

Confie no destino, desde que você aja para esperá-lo

“O destino é uma questão de escolha.” Augusto Cury

É comum que se tenha um pensamento de que as coisas que acontecem na vida são oriundas do destino; como se a vida fosse algo que estivesse à merce da sorte.

Mais comum ainda é que no final do ano se faça um balanço dos dias passados, e projeções para o futuro; mais uma dose de “o destino quis assim” caso  não se alcance algumas metas ou, “não era pra ser”.

É certo que há coisas na vida que não acontecem simplesmente porque não era tempo para acontecer.

Porém, uma grande parte das coisas que nos acometem são, necessariamente, advindas das nossas ações e nosso planejamento.

O destino sempre foi um assunto muito, muito discutido nas religiões, na filosofia. É sabido que muitas coisas para nos chegarem, para acontecerem em nossa vida, necessitam que estejamos preparados para tal. Sem preparo, sem as condições necessárias, à merce da vida deixaremos que sejamos levados.

Assim, na virada do ano, mais do que elegermos as metas que traçaremos para o ano, é preciso, e necessário, sobretudo, que compreendamos a responsabilidade que temos nas ações que teremos, para que, no ano vindouro, nessa mesma época, tenhamos uma capacidade de avaliação do que nos ocorreu de forma objetiva, fundada em planejamento, ações e resultados.

Quis o destino… mas o que é o destino, senão as nossas escolhas? O nosso direcionamento?

Se você quer  um trabalho em que você se sinta realizado, deve fazer essa escolha. Pode ser que ele não apareça no primeiro mês, no segundo mês desse desejo de mudança. Todavia, cedo ou tarde, se você desejar, se você quiser, se você lutar, o destino se encarregará de trazer, no momento certo, as suas escolhas.

E isso vale para os relacionamentos pessoais, profissionais, familiares, conquistas materiais, dinheiro. Tudo, absolutamente tudo, acredito que seja regido pelas leis do  universo, e o que emitimos e desejamos, executando, nos virá uma hora outra, de uma forma ou outra.  

Na primeira oportunidade, se desistirmos, e apontarmos para que o “destino quis assim”, e deixarmos de continuar a tentar e a lutar, nos acostumaremos a receber da vida aquilo que a vida nos apresentará, de forma aleatória, despreparada.

Então, além da saúde, que todos devemos desejar, creio que devemos pedir, e muito, sempre a possibilidade de mudança de pensamento; de reflexão sobre nossos valores; da fundamental percepção da importância dos nossos hábitos na construção do nosso destino.

Aquilo que é seu, de uma forma ou outra virá, desde que você saiba apontar para aquilo que você quer e, objetivamente, agir.


Fonte: Artigos Administradores / As ações e o nosso destino

Os comentários estão fechados.