As dificuldades de se ter o próprio negócio

As dificuldades de se ter o próprio negócio

Todo mundo pensa em abrir um negócio, mas dificilmente se para pra pensar e quais são as dificuldades de se abrir um negócio

Se você é dono do seu próprio negócio deve conviver com todos os tipos de influências.

Tem sempre aquele pessoal que acha que a partir do momento que você abriu uma empresa sua conta bancária está mais azul que a pele de um Smurf.

Pode até ser que ela tenha somado alguns zeros a mais, mas a maioria deles foi à esquerda (ou depois da vírgula)

– “Vai pagar a cerveja para todo mundo hoje né? Fiquei sabendo que você abriu uma empresa!

 

Tem o pessoal que acha que você simplesmente não faz nada o dia todo.

– “Deve ser bem legal ser seu próprio chefe, pode assistir séries a hora que você quer, ir embora a hora que você quer e quase não tem pressão.”

A vontade que dá ao ouvir coisas desse tipo é mandar o Celso Portiolli jogar uma torta na cara dessa pessoa. (Tente não fazer isso)

E tem também o pessoal que acha que você é o maior idiota do mundo por se arriscar dessa maneira.

– “Você não conseguiu arranjar emprego? Não gosta/tem preguiça de trabalhar para os outros? E sua família?”

 Pois é, você já deve ter percebido que não é tão fácil ter um negócio como você imaginava antes, né?

Eu aprendi na “raça”, mas isso não quer dizer que tenha que ser assim com você, por isso, vou te mostrar (na minha opinião) quais são as maiores dificuldades de ter um negócio próprio:

1) Falta de apoio: normalmente parentes e amigos não te apoiam, e talvez isso seja culpa da nossa cultura.

Completa aversão ao risco, algumas pessoas ainda encaram o empreendedorismo como se fosse uma espécie de “vadiagem”, veem o empreendedor como uma pessoa que não quer trabalhar como empregado por preguiça ou por não gostar de ser comandado.

2) Relacionamento com sócios: muitas vezes ter um sócio pode ser o principal fator para sua empresa não ir pra frente.

Relacionar-se com outra pessoa não é fácil, ainda mais com a pressão diária de se ter um negócio e alcançar resultados.

Se não estão todos no mesmo ritmo ou não têm inteligência emocional para lidar com o estresse diário isso pode impactar completamente na produtividade da empresa.

3) Motivar: Manter as pessoas motivadas não é tão fácil quanto se parece, o esforço é gigante e cada um tem algo diferente que o motiva, o que faz dessa função um atividade exaustiva e que nem sempre traz os frutos que se quer.

4) Motivar-se: O relacionamento com os sócios, funcionários, clientes, família, com o mercado… Tudo isso são fatores que podem agregar, ou não, na sua motivação. Você tem que descobrir o que te motiva, pois, caso não o faça, você mesmo pode matar a sua empresa.

5) Aprender a se virar: Não existe ninguém que lhe dê o empurrão quando precisa, o seu sócio nem sempre pode te ajudar com algo (quando se tem um), ou seja, você tem que aprender a se virar sozinho, aprender coisas sozinho , buscar suas próprias fontes e etc.

Mas calma, pelo menos hoje em dia temos o Google para ajudar, imagina como era antes da internet! (risos.)

6) Fazer o que não gosta: Se você já tem sua própria empresa já deve ter percebido isso, no início você tem que fazer TUDO. Financeiro, Comercial, Operacional, Pós-Venda e por aí vai.

É bom estar preparado, por que aquele controle financeiro que você nunca fez e nem quis fazer pode estar esperando por você.

7) Nem sempre tudo depende de você: Às vezes você dá o seu melhor, faz o que pode e o que não pode para conseguir alcançar um cliente ou meta e no fim das contas, não dá certo.

Não quer dizer que foi culpa sua e você não deve se incomodar com isso, mantenha a cabeça erguida e batalhe ainda mais para alcançar o seu próximo objetivo.

8) Ser muito jovem/velho: Esse fator, pode impactar muito no seu dia-a-dia.

O fato de você ser muito novo para ter uma consultoria de negócios ou de carreira, pode gerar incredibilidade no mercado, assim como ser mais velho e trabalhar como webdesigner.

Calma, não desista, você vai ter um pouco mais de trabalho, mas isso não quer dizer que você não tem chances e sim o oposto disso. Você tem o efeito surpresa!

Isto é, você vai chamar mais atenção se mostrar que você é tão bom quanto o estereótipo estabelecido para aquela atividade e pode acabar sendo uma marca registrada sua.

O que fazer?

 

– Estabeleça tarefas diárias: elas podem te ajudar a chegar mais perto de um objetivo ou te posicionar quanto a sua próxima jogada e te mostram que os pequenos esforços diários te levam às grandes conquistas.

– Escolha bem o seu sócio: como a lista acima já mostra, ter um sócio nem sempre é tão bom, mas caso opte por isso escolha alguém que pense mais ou menos como você, tenha os mesmos objetivos que você e principalmente, que te ajude a crescer mais e mais.

– Estimule resiliência[1]: não só para abrir um negócio, mas para fazer tudo na sua vida, a resiliência é uma característica essencial do sucesso.

– Tenha um hobby: ter seu próprio negócio é muito complicado e estressante, por isso, reserve um tempo para relaxar e se divertir um pouco. Ria um pouco, assista um seriado, leia uma tirinha de jornal, fique perto de quem você gosta ou até se isole por algum tempo. Isto pode te ajudar a recuperar as energias, colocar a mente em ordem e produzir mais e mais.

– Descubra como se automotivar: Você é a manilha do baralho, se você ficar para baixo, você leva todo mundo com você.

Descubra como se manter motivado, o que te estimula ou desafia. Esse é o diferencial de uma carreira bem sucedida.

[1] A resiliência é um aspecto psicológico, definido como a capacidade de o indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas – choque, estresse etc. – sem entrar em surto psicológico.


Fonte: Artigos Administradores / As dificuldades de se ter o próprio negócio

Os comentários estão fechados.