Big Data na gestão estratégica da organização

Big Data na gestão estratégica da organização

Abordagem explicando de forma simples o que é o Big Data e como ele pode vir a auxiliar na gestão estratégica

Vivemos em um período de alto fluxo de dados e informações, geradas diariamente em velocidade e volume cada vez maior. Para exemplificar, estudos da Intel, apontaram que em 2015, se gerou mais de 1,50 peta bytes de dados eletrônicos a cada minuto. Este mesmo estudo também mostrou que o número de dispositivos com capacidade de se conectar à internet já era superior ao número de pessoas no planeta. Estima-se que ao final do ano de 2017, o número de dados gerados por estes dispositivos será treze vezes maior, o que indica que a quantidade de informação também terá um aumento significativo.

Com esta grande quantidade de informações também surgem muitas oportunidades que envolvem a sua utilização. Trata-se de oportunidades de negócio ou aprendizagem, pois os dados presentes nessas informações podem conter muito conhecimento, tanto para a tomada de novos rumos, como para o aproveitamento de novas oportunidade. Por este motivo, há cada vez mais empresas buscando ferramentas e técnicas para realizar a análise destes dados, inclusive na área industrial. Uma das formas de se realizar isto, é a partir de um conceito de análise de dados que possui grande potencial para realizar esta tarefa, que é o Big Data.

O que é o Big Data

Este conceito foi citado pela primeira vez por Roger Magoulas em 2005. Desde então, vem se desenvolvendo e se apresentando como uma nova forma de análise de dados, diferente e mais eficiente que as demais. Esse status de inovação é reforçado por afirmações como a de Zikopoulos, que o descreve como “um ponto de inflexão, quando se trata de tecnologia de informação”, ou seja, representa o ponto de partida para a análise de dados maiores e mais complexos.

Para realizar a análise dos dados, o Big Data possui cinco pilares de sustentação, também conhecidos como os “V’s” do Big Data. São eles: Volume, Velocidade, Variedade, Veracidade e Valor. Em uma breve apresentação dos “V’s”, sabe-se que o Volume representa a quantidade de dados que podem ser processados, a Velocidade representa a rapidez com que estes dados são processados, a Variedade descreve a capacidade de o Big Data trabalhar dados com diferentes formas e estruturas. O pilar Veracidade é a capacidade do conceito de determinar se o dado é verídico ou não para aquela análise e o Valor representa a significância que a análise realizada traz para quem a aplica, expressando o que o aplicador ganha com o Big Data.  Estes pilares são a essência do conceito de Big Data e a sua execução em conjunto permite que ele realize uma análise de dados superior à análise dos demais conceitos e técnicas de análise de dados conhecidos e aplicados atualmente. De acordo com Ohlhorst, o Big Data tem potencial para guiar as tomadas de decisões, otimizando-as a partir do fator tempo e da qualidade das informações, pois a partir de dados mais completos e precisos, chegando em tempo real, a capacidade de acertos na tomada de decisões só tende a aumentar.

Aplicando nas Organizações

Uma das possíveis áreas de aplicação do Big Data dentro das corporações é na parte de gestão estratégica. A aplicação de modelos de gestão estratégica dentro das organizações já é uma realidade, porém a utilização do Big Data ainda não, embora possua grande potencial para ser. Como a gestão estratégica ocorre em grande parte a partir da análise de informações, o Big Data pode alimentar essa análise com uma grande quantidade de dados. O que assume uma importância notável, pois segundo Helenar, a informação é o combustível do século 21 e a capacidade de analisa-la é o motor que impulsionará as organizações.

A atuação do Big Data no contexto da gestão estratégica pode ocorrer de diferentes formas: auxiliando na tomada de decisão, no processo de desenvolvimento e aperfeiçoamento de produtos, definindo estratégias de marketing, detectando eventuais falhas e fraudes dentro da organização e na gestão dos recursos humanos da empresa. A aplicação do Big Data dentro de organizações e negócios pode ser considerada um processo essencial, conforme explicita uma pesquisa com diversos executivos dos quais 85% afirmaram que o Big Data tem potencial para alterar os rumos dos negócios no futuro, 84% concordaram que este conceito trará vantagens competitivas para as empresas/organizações que o utilizarem e 79% acreditam que as organizações que não o usarem no futuro, perderão fatias importantes do mercado e poderão até ser extintas (INCORPORATE, 2015). Com base nestes dados, percebe-se o potencial de aplicação do Big Data na gestão estratégica de uma organização, uma vez que esse conceito pode tornar-se um fator determinante para o futuro das empresas.

REFERÊNCIAL TEÓRICO

HELENAR, Peter. ‘Big Data’ Offers Great Promise. Estados Unidos: Credit Union Directors Newsletter. v.39, n.11, p.4. 2013.

INCORPORATE Big Data into strategic planning. Estados Unidos: Credit Union Directors Newsletter. v.41, n.2, p.3. 2015.

  1. What happens in a Interne Minute? [S.I.], [2015?]. Disponível em: <http://www.intel.com/content/www/us/en/communications/internet-minute-infographic.html>. Acesso em 5 nov. 2015.

OHLHORST, Frank. Big Data Analytics: Turning Big Data into Big Money. New Jersey: John Wiley & Sons, Inc., v.1, c.1, p.14-21, 2013. Versão Digital

ZIKOPOULOS, Paul et al. Understanding Big Data: Analytics for Enterprise Class Hadoop and Streaming Data. Estados Unidos: McGraw-Hill Osborne Media, v.1, c.1, p.30-41. 2011. Versão Digital


Fonte: Artigos Administradores / Big Data na gestão estratégica da organização

Os comentários estão fechados.