Branding e endomarketing, tudo a ver

Branding e endomarketing, tudo a ver

A importância do endomarketing para o efetivo sucesso dos processos de branding.

A comunicação empresarial é composta por um sem-número de ações e ferramentas que inclui a publicidade tradicional, a publicidade online, a divulgação de conteúdos via imprensa, blogs, redes sociais, sites institucionais etc.

Nem sempre, porém, essas estratégias levam em conta uma área que tem importância fundamental – ou deveria ter – na execução das estratégias de branding das empresas: o endomarketing. Discutimos bastante esse aspecto durante uma reunião de trabalho, o que me levou a levantar alguns conceitos sobre o tema, principalmente aqueles que abordei em entrevista ao portal Vox News, por considerá-los importantes para a compreensão do papel do endomarketing nas estratégias de branding.

O que é endomarketing

Da mesma forma que o marketing, o endomarketing reúne uma série de disciplinas da comunicação e utiliza-se delas com o objetivo de divulgar uma empresa para um público específico: os funcionários dessa empresa. Ou seja, como a própria palavra indica, o endomarketing é o marketing voltado para dentro. E por que fazer marketing da empresa para os seus próprios funcionários? Porque somente quando funcionários estiverem conscientes dos valores das empresas, acreditarem neles, compartilharem da sua maneira de se relacionar e de fazer negócios é que poderão criar empatia e coincidência de ideias com clientes e outros stakeholders.

O endomarketing pode ser considerado, hoje, um fator de diferenciação. É o mecanismo pelo qual as empresas podem alinhar o seu discurso (série de mensagens enviadas a clientes e outros stakeholders pelos mais diversos meios: comerciais, anúncios, entrevistas à imprensa etc.) com as suas ações. Sim, estamos nos referindo às ações e atitudes dos funcionários da empresa, seus representantes comerciais, franqueados etc.

A relação entre marketing, branding  e endomarketing

Em uma concepção mais moderna, o marketing e o endomarketing utilizam ferramentas muito semelhantes e divulgam mensagens cada dia mais alinhadas. Cada vez mais, as campanhas externas, nas suas mais variadas formas, e os veículos e campanhas internas, também nas suas mais variadas formas, falam as mesmas coisas, uma vez que, sem isso, o discurso seria só discurso e não se refletiria nas ações dos funcionários e representantes da empresa. Mas, a relação entre o endomarketing e o branding é ainda mais estreita.

O branding é o esforço das empresas para diferenciarem seus produtos e serviços (que são, em um ambiente globalizado como o que vivemos, cada vez mais parecidos) por meio da personalidade da sua marca. O que me faz escolher entre um ou outro produto na prateleira do supermercado? Eles são parecidos, têm preços parecidos e funções, às vezes, idênticas. Mas eu preciso decidir por um deles. E escolho pela marca que considero mais simpática, a marca que conheço, a marca com a qual mais me identifico por acreditar que as pessoas dessa empresa pensam e agem de uma maneira mais próxima do meu próprio jeito de ser. E como fazer com que os funcionários ajam de acordo com a imagem da marca? Por meio de programas consistentes e alinhados de endomarketing. Podemos dizer que existe um vínculo de forte interdependência entre branding e endomarketing. Na hora de estabelecer planejamentos de branding, vale prestar atenção no público interno, sob pena de obter um resultado oposto ao esperado.

Domingos Crescente

Jornalista, consultor de processos de comunicação empresarial.


Fonte: Artigos Administradores / Branding e endomarketing, tudo a ver

Os comentários estão fechados.