"Café compartilhado" – Uma bela iniciativa

“Café compartilhado” – Uma bela iniciativa

“Café Compartilhado”, uma iniciativa que está virando moda na cidade de São Paulo. Sabe do que se trata? Então confira e sugira este modelo em sua cidade, vale a pena

Hoje pela manha, como de costume, estava assistindo ao jornal “Bom dia Brasil” da Globo. Em minha avaliação, tanto esse jornal quanto o “Jornal da Globo”, que passa por volta de meia noite, uma das poucas programações com qualidade deste canal.

Em meio a programação, uma das matérias surgiu e me chamou muito a atenção: a existência de uma iniciativa chamada “Café Compartilhado” na cidade de São Paulo. Após acompanhar toda a matéria, achei simplesmente fabuloso! Muitos comércios estão aderindo. Funciona, basicamente, da seguinte maneira: Você para em um estabelecimento afim tomar um café, e na hora de pagar a conta o dono do local lhe oferece deixar um café pago, e você aceita (ou não). Este café vai para uma lousa onde se encontra anotado tudo o que já foi pago a mais. O “menu extra” que é formado é servido a moradores de rua que, já sabendo da iniciativa, comparecem ao local para tomar café.

A genialidade deste modelo, somado a sua simplicidade, me deixou admirado. Ora, eu reluto, e muito, para dar dinheiro em espécie a moradores de rua, uma vez que não sei para qual finalidade o mesmo será destinado, e, por vezes (na maioria), estou sem tempo de conduzir o morador de rua a um estabelecimento para lhe pagar um café. A iniciativa resolve meu problema de forma extremamente satisfatória. Tendo em vista meu desejo em ser condolente com essas pessoas, somado ao meu receio e falta de tempo, essa é a melhor saída para me atender. Basta que, quando eu for tomar meu café, deixe um pago, não me tomando tempo, tampouco direcionando esse recurso a fins indesejados. Obviamente, se faz necessário que algumas pessoas se juntem, periodicamente, para fazer testes visando verificar se o recurso está indo, de fato, para o destino indicado.

A iniciativa em primeiro lugar, corrobora com minha tese de que, mesmo que o ser humano seja ganancioso e busque sempre maximizar seu bem estar, também pode-se verificar traços de altruísmo voluntário nos mesmos, e isso porque, para muitos, agir altruisticamente significa maximizar seu próprio bem estar e, em segundo lugar (a cereja do bolo), o que torna a iniciativa possível é o tão condenado lucro por aqueles que se dizem “os maiores altruístas”, pois é a possibilidade de aumentar as vendas que motiva os comerciantes.

Acredito que iniciativas como essa fazem parte de um modelo de sociedade ideal. Como já dito em alguns de meus textos (a exemplo deste), a sociedade ideal é aquela que consegue unir livre mercado, estímulo a atividade empreendedora, produtividade, competitividade, criatividade, maximizando sua formação de riqueza, à um viés assistencialista, de forma a integrar cada vez mais pessoas na lógica de cooperação social, uma vez entendendo que, quanto mais pessoas inseridas no mercado gerando riqueza, maior tende a ser a riqueza dessa sociedade, tornando o assistencialismo não só desejável moralmente, como na prática também.

Contudo, não acredito que o Estado deva ter atuação ativa neste sentido, tal como na maioria da economia e sociedade, até porque vai de encontro às características de sociedade ideal descritas, uma vez que pesa na atividade empresarial e mina a formação de riqueza. O Estado deveria sim ter uma atuação passiva. Estimular o assistencialismo privado, apenas provendo ajuda naquilo que “ainda faltar”, reforça a formação de uma sociedade significativamente melhor do que aquela cujo assistencialismo público é exagerado, gerando conforto demasiado, e não apenas assistência no sentido de integrar os indivíduos ao mercado, além de ir solapando o sentimento moral daquela sociedade que passa a esperar sempre do Estado aquilo que deveria ser de sua responsabilidade.

Publicado originalmente em http://alivreiniciativa.blogspot.com.br/2015/09/cafe-compartilhado-uma-bela-iniciativa.html


Fonte: Artigos Administradores / “Café compartilhado” – Uma bela iniciativa

Os comentários estão fechados.