Comecei o ano ganhando um tesouro

Comecei o ano ganhando um tesouro

Nunca é tarde para saber quais são os objetivos que podemos ter na vida. A busca pelo conhecimento está ao alcance de todos e nos livros podemos desbravar os caminhos que pretendemos percorrer

Recebi um “presente”, um tesouro, uma inspiração para iniciar 2016 com confiança, mindset voltado para o sucesso.

Na realidade recebi uma recompensa pelo objetivo alcançado em um curso de coaching sobre alta performance que fiz, um livro, o maior tesouro que alguém pode ganhar é o conhecimento de outra pessoa.

O livro é de Flávio Augusto da Silva, GERAÇÃO DE VALOR, mega empresário brasileiro de quarenta e poucos anos, nascido no Rio de Janeiro, ficou MEGA famoso com a venda de uma escola de idiomas por quase 1 bilhão de reais e depois de pouco mais de dois anos compra de volta por 390 milhões de reais, dono do time de futebol Orlando City nos EUA e é um fenômeno do empreendedorismo.

Resumindo o seu livro em uma única frase, eu diria: “ Não tenha medo dos seus objetivos, coloque-os em ação”.

Flávio já sabia o que queria na sua infância, na sua adolescência já possuía objetivos claros, na juventude já comandava equipes pelo mundo. Responsabilidade gigante aos 21 anos de idade, gerenciar uma unidade da empresa na qual trabalhava na VENEZUELA.

No primeiro capítulo ele começa com uma pergunta pra ele mesmo. “O QUE EU FARIA SE TIVESSE 18 ANOS?” Ele destaca 10 pontos que começaria sua vida de adulto. Primeiro item, “JAMAIS TERIA UM EMPREGO”.

Eu fiquei me perguntando. Porque não tive meus objetivos claros na juventude? Porque não tive o hábito da leitura na minha infância, adolescência e juventude. Porque não tive alguém pra me inspirar.

Aí está o problema! Sempre imaginei que para ter o sucesso deveria esperar alguém me descobrir ou mandar fazer algo de extraordinário. Então vi que ninguém faria nada por mim do qual eu não tivesse que correr atrás.

A minha geração dos anos 70, amigos de infância, escola, não tiveram seus sonhos traçados na sua adolescência. Não era perguntado o que cada um gostaria de ser quando crescer.

Na época achávamos que não tínhamos muitas escolhas, que o norte a seguir um dia viria, quem sabe com a sorte.

Apesar de que a informação, conhecimento e as oportunidades estavam ao alcance de todos. O que me faltou na época foi entender que eu não precisaria desbravar nenhum NOVO MUNDO. Que eu poderia escolher ser qualquer coisa na vida e buscar conhecer as pessoas que já tiveram todo o trabalho de desbravar estes horizontes.

Era só eu escolher os caminhos que alguém já tinha trilhado. Grandes nomes da administração são do inicio do século XX, grandes empresários americanos como, Henry Ford, Dale Carnegie, Napelon Hill, Lee Iacocca, entre outros nomes que poderia ter me espelhado.

A grande maioria dos jovens da minha época, pelo menos na minha região não foram apresentados a nenhum grande nome, não aprendemos que heróis e ídolos já existiam ( e não eram só jogadores de futebol ou pilotos de formula 1), que bastava apenas conhecê-los para que pudesse servir de referência.

Não vou entrar no mérito de quem teve na sua plenitude um PAI que lhe ensinasse todos os preceitos da vida. Meu pai foi um grande homem, bondoso, generoso, amigo, brincalhão, mas, o único objetivo dele foi criar sua família com seu suor. Pra mim foi pouco inspirador para quem sonhava em buscar o sucesso.

No livro Geração de Valor, Flávio aconselha a seguir estes líderes, seja seu pai, seja alguém da família, seja alguém que faça parte da história. Mas, alguém que lhe traga inspiração e desejo de crescer.

Na minha adolescência sempre foi dito que na fase adulta as coisas seriam difíceis, que teria que trabalhar muito para sustentar a família, que teria um emprego que pagaria pouco, e que não adiantaria sonhar muito, pois somos o que somos. (Não sei se pra você que está lendo foi assim também?)

Pois bem, depois de muito apanhar, de muito sofrer com erros, percebi que deveria existir um jeito mais fácil de alcançar os meus objetivos. Então comecei a ler o que deveria ter lido a muito tempo, BIOGRAFIAS de famosos, empresários de grandes empresas, atores, lutadores, desbravadores.

Então fiquei me perguntando, PORQUE NÃO APRENDEMOS ISTO NAS ESCOLAS? Porque insistem ensinar biologia, física, álgebra para crianças que nem sabem a origem destas matérias? Quem são os maiores pensadores, porque eles tiveram o trabalho e esforço em descobrir fórmulas matemáticas e ou estudar animais? Não sei responder o por que. Sei apenas que eram inseridas informações sem muitos questionamentos, apenas DECORE um dia irá precisar.

Então você entra na adolescência sem muito compromisso, pois estudar era um fardo e não um incentivo para o sucesso. Saber que ao estudar química você poderia ser um aprendiz em algum laboratório, matemática poderia trabalhar numa contabilidade ou em um banco, ou quem sabe ensinar seu pai a prosperar no seu empreendimento.

Flávio realça com ênfase 7 hábitos das pessoas fracassadas, vou destacar duas das quais fizeram parte da minha adolescência e juventude.

“Suas decisões são influenciadas muito mais pelo medo de perder do que pela vontade de ganhar.”

“Acreditam que dependem da sorte para vencer.”

Estes medos ficaram inseridos por muito tempo.

Muitas das escolhas que fizemos está pautado em um ditado, “MAIS VALE UM PÁSSARO NA MÃO QUE DOIS VOANDO.” Deixamos de agarrar uma oportunidade na vida por medo de perder o certo ao ter que trocar pelo duvidoso.

Mas mesmo assim não paramos de sonhar em ganhar ASAS, em ter a liberdade de decidir o próprio destino, em buscar o sonho de empreender. Mas, o MEDO está ali presente, grudado em você.

Escrevo isto de coração aberto para demonstrar que cada um deve buscar o seu sucesso. Cada um deve assumir a culpa pelas dificuldades que criou no seu caminho, sonhos não realizados, vontades não feitas. Mas, nunca é tarde para mudar o seu destino.

As oportunidades existem e estão ao alcance de todos. Mas, temos que ter objetivos claros, metas factíveis, buscar conhecimento de líderes, saber quem trilhou por caminhos que queremos percorrer.

Não queira redesenhar a roda, não seja orgulhoso em por não perguntar como o seu amigo conseguiu tal façanha, não perca chance de construir um novo futuro com a oportunidade que lhe derem.

Busque o seu sonho com confiança. Busque ajuda quando necessário, encontre alguém que saiba mais que você sobre o assunto.

Assuma compromissos com a dignidade. Tenha princípios de honestidade, assim irá gerar confiança e amizades verdadeiras.

Corra atrás de conhecimento, pois, ele é como ouro, só desbravando para encontrá-lo e a sua recompensa é de valor inestimável.

Não deixe ninguém dizer a você que não é capaz de alcançar seus objetivos, ou dizer que são muito difíceis para você.

Sonhe, corra, construa, seja dono do seu destino.

Obrigado pelo seu tempo. E vamos pra ACTION!

Obs: Trechos do livro Geração de Valor – Compartilhando Inspiração, Flávio Augusto da Silva, Editora Sextante.


Fonte: Artigos Administradores / Comecei o ano ganhando um tesouro

Os comentários estão fechados.