Como as suas atitudes definem quem você é?

Como as suas atitudes definem quem você é?

O autoconhecimento é o primeiro tópico que deve ser abordados quando se fala em desenvolvimento pessoal e crescimento profissional. A pessoa que o exercita diariamente consegue gerir melhor as decisões cotidianas, estabelece metas de vida a serem cumpridas e relaciona-se de uma forma muito mais verdadeira com quem a cerca

Quem já leu o livro “O mundo de Sofia” de Jostein Gaarder (ele funciona tanto como romance, como um guia básico de filosofia. Se não leu, recomendo!) sabe que o primeiro questionamento feito à personagem principal foi: “QUEM SOU EU?”, e essa pode ser uma pergunta simples se não atingir o seu interior e te levar a uma viagem pelos sonhos, desejos, vontades e atitudes próprias.

A palavra autoconhecimento deriva de:

Auto do grego AUTÓS – si mesmo, si próprio;

Conhecimento do grego GNOMÉ – razão, entendimento.

Autoconhecimento = Conhecimento de si próprio, características, qualidades, imperfeições, sentimentos etc.

O início do processo de autoconhecimento é o mais importante.  Geralmente ele começa com a identificação dos seus valores pessoais, ou seja, o conjunto de fundamentos éticos e espirituais que compõem a consciência humana. A maioria das pessoas sabe que possui valores ou afirmam que aprenderam com a família, na escola, na igreja… Até aí, tudo bem. O grande “X” da questão é: Qual valor pessoal é o mais importante e o que rege minhas principais decisões? É incrível como nós não sabemos isso na ponta da língua.

Um adulto em média toma dez mil decisões por dia e se não nos importamos com a qualidade destas estamos fadados ao fracasso. Saber onde queremos chegar e o que faremos para alcançar o objetivo é o segundo degrau do autoconhecimento. Estabelecer metas e planejar é o passo mais complexo porque é nele que temos que utilizar a análise SWOT (ela não é utilizada só na Administração de empresas!) e não é nada fácil identificar nossos pontos fortes e fracos, além disso, é preciso especificar as oportunidades e ameaças que podem ocorrer no processo. Após o planejamento, podemos validá-lo revendo um resumo que ajuda a entender bem este passo, que é o TER, SER e FAZER. Nós questionamos o que se quer TER, o que quer SER e o que é preciso FAZER para se atingir os objetivos.

O que torna esses processos realmente válidos no cotidiano é a aplicabilidade com as pessoas que estão na nossa volta. Assim, é possível lidar satisfatoriamente com conflitos que surgem, entendendo as atitudes do outro e absorvendo para nós apenas o que é útil, e tudo isso sem desviar do foco.


Fonte: Artigos Administradores / Como as suas atitudes definem quem você é?

Os comentários estão fechados.