Como organizar as categorias da minha loja virtual?

Como organizar as categorias da minha loja virtual?

Você já parou para pensar que a forma como organiza as categorias e os produtos de sua loja virtual pode interferir diretamente no resultado de suas vendas? Então é melhor separar um tempo e ler este artigo com dicas para otimizar estes aspectos.

Você já parou para pensar que a forma como organiza as categorias de sua loja virtual pode interferir diretamente no resultado de suas vendas? E quando eu falo em organizar as categorias, não quero dizer criar aquele menu imenso com dezenas de categorias que mal possuem acessos e geram poucas vendas.

Organizar corretamente as categorias de sua loja virtual é um aspecto que impacta diretamente nas suas vendas online, pois quanto melhor você guiar e orientar seus clientes, maior será sua conversão.

Mas antes de falarmos em dicas, é importante definirmos o que é uma categoria na loja virtual? 

Na RSWA, uma categoria nada mais é do que um recurso existente para melhor organizar os produtos que estão a venda na sua loja, ou seja, a estrutura que você montar no seu painel administrativo irá gerar o menu da sua loja virtual, guiando os clientes para efetivarem suas compras.

Estas categorias podem ser pensadas como uma família, onde a categoria principal seria o pai e as subcategorias as filhas dele. Abaixo exemplificamos com um print de uma loja virtual de lingeries. Ela possui 3 categorias principais “pais” – (Lingerie, Acessórios e Outlet). Podemos ver que dentro da categoria Lingerie existem 3 subcategorias “filhas“ – (Calcinhas, Sutiãs e Conjuntos).

 

A criação destas categorias não possui limites, o que permite um enorme número de combinações. Destaca-se também que um mesmo produto pode pertencer a mais de uma categoria, como por exemplo, em Conjuntos e no Outlet. Isto faz com que um bom planejamento seja importante.

A propósito, é importante também lembrar que podemos criar categorias ocasionais, como Natal, Páscoa, Dia das mães, etc. Elas irão servir para agrupar produtos de um contexto específico, mas que não precisam ficar ativas o ano inteiro, pois atendem a um objetivo sazonal.

Agora entrando no aspecto do planejamento listamos três dicas matadoras:

 

Dica 1 – Simplifique. Neste momento menos é mais!

Em primeiro lugar tenha em mente que as categorias são a forma de você organizar seus produtos com o intuito de o usuário encontrar o que procura da forma mais fácil possível. Então, procure pensar como o comprador e evite criar categorias desnecessárias. Também é importante não criar muitos níveis de subcategorias (mais do que três níveis é algo raro).

Também é importante você acompanhar as vendas e as estatísticas de acesso para aprimorar as categorias, dando destaque para o que mais está lhe gerando resultados. É comum pensarmos em focar “em tudo“, porém quanto mais generalista você for, maior a probabilidade de o cliente não encontrar o que realmente quer comprar.

 

Dica 2 – Agrupe seus produtos por semelhança, mas crie menus por temas

Quanto a forma de organização em si, as formas mais comuns são agrupar os produtos por semelhança ou por temática. Um bom exemplo é a loja da Netshoes, que é um dos maiores e-commerces do Brasil. 

Num primeiro momento, você já percebe que o menu está inicialmente agrupado por semelhança, o que inclui a divisão clássica Homens, Mulheres, Crianças, etc. E dentro de cada categoria, existem as subcategorias agrupadas por tênis, roupas, acessórios, etc. Esta é uma divisão clássica e ajuda muito aquelas pessoas que sabem o que querem ou procuram algo mais específico.

 

Porém passando o mouse nos “Departamentos“, você percebe que o agrupamento é diferente e busca encantar o cliente pela temática. Por exemplo, o menu “Natação” incorpora produtos variados no que diz respeito a calçados, mochilas, etc. Porém todos eles estão interligados para um praticante de natação. Este tipo de agrupamento facilita muito aquelas pessoas que estão pesquisando por novidades na área (no caso Natação) ou buscam suprir algo que necessitam.

 

 

Parece ser natural isto, né?! Mas não é. Em geral pensaríamos em dividir somente entre Homens e Mulheres, calçados e mochilas, etc. Ao pensar na temática específica, você pode reunir produtos para um nicho de mercado, fazendo com que seja criada até uma ligação sentimental com o futuro cliente, que acaba por converter ainda mais as vendas.

 

Dica 3 – Procure criar filtros

No e-commerce da RSWA você pode criar atributos específicos nos produtos. Estes atributos podem virar filtros nas categorias. Isto ajuda muito quando o usuário quer filtrar os produtos por determinadas características, preço ou até marcas.

 

 

Por fim, lembre-se que a página que lista uma categoria é como se fosse a página principal daquele “setor“ de sua loja virtual. Então procure evitar incluir vários itens desnecessários. Foque no que você quer destacar e sempre pense como o consumidor (assim você perceberá melhor se aquilo deveria estar realmente ali).

Também fique atento às estatísticas de sua loja virtual. É importante acompanhá-las e ir aprimorando a sua estrutura de categorias, pois elas não são estáticas e definitivas. Elas podem evoluir e se adequar ao que seus clientes estão procurando.

Vamos lá! Agora é hora de separar um tempo e planejar a sua loja virtual 😀

 

Contribuições para o texto:


Fonte: Artigos Administradores / Como organizar as categorias da minha loja virtual?

Os comentários estão fechados.