Como ser um bom orador

Como ser um bom orador

Um bom orador é aquele que consegue aliar três características essenciais: objetividade, clareza e motivação

Um bom orador é aquele que consegue aliar três características essenciais:

  • objetividade;
  • clareza e
  • motivação.

Embasado em conteúdos relevantes, o bom orador criar conexão com os ouvintes, despertando o interesse pelo discurso e conduzindo-os ao entendimento da mensagem sendo transmitida.

Ser um bom orador é um desafio que requer empenho e disciplina.

A orientação mais assertiva para você vencer o desafio e ser um bom orador é: invista em PREPARAÇÃO.

A boa oratória não é um talento nato. É conquistada com planejamento, treino intenso e muita prática.

É o resultado que você constrói com trabalho e muita dedicação.

Coordenando conteúdo e forma

Dois fatores devem ser conjugados para ser um bom orador: CONTEÚDO  e FORMA.

Você não tem como garantir uma fala de qualidade daquilo que não conhece. Ponto.

Nesse caso, você tem duas opções:

  1. Habilite-se a falar daquilo que domina.
  2. Ou domine aquilo que deseja falar.

A qualificação técnica é fundamental, pois te permite elencar bons argumentos e te prepara para prováveis objeções.

Escolha temas relevantes e adequados aos interesses e às expectativas dos ouvintes. Faz parte da preparação buscar o máximo de informação possível dos seus interlocutores; assim você demonstra que conhece as necessidades deles, conquistando respeito e confiança.

Essa confiança conduz a credibilidade, ingrediente fundamental para construção do bom orador.

Domínio do conteúdo é crucial, mas não é suficiente para ser um bom orador.

Para ser um ótimo orador, você precisa planejar bem a forma de exposição do conteúdo. A fala deve ter começo, meio e fim; seguindo uma ordenação lógica do raciocínio.

seu objetivo é conduzir o ouvinte a seguir essa sequência lógica de pensamentos; chegando gradualmente ao entendimento preparado e proposto por você.

Este entendimento gradual prende a atenção dos ouvintes e conquista a simpatia logo de início. Esta conquista quebra as resistências do público e ajuda na construção da tão desejada credibilidade, potencializando a persuasão.

Outro ponto para dar atenção é saber onde se quer chegar.

Um bom orador é aquele que leva seus ouvintes à reflexão. Você deve deixar uma mensagem que motive, que leve a um efeito multiplicador dos conteúdos expostos.

Investir no preparo da exposição do conteúdo é o melhor modo de garantir performance de qualidade.

Uma forma de tornar bem atraente o discurso é ilustra-lo com histórias, que tenham relação com o tema e com os ouvintes. Essas histórias devem ser curtas e interessantes; idealmente envolvem você e suas experiências.

Adicionar uma boa dose de humor também funciona, mas sem esquecer-se do bom senso!

Presença de espírito é um ingrediente bem útil para descontrair e, sobretudo, para criar rapport, a conexão que se estabelece entre o orador e os ouvintes, que garante a reciprocidade.

A linguagem utilizada deve contar com um vocabulário amplo e correto, sempre adequados ao contexto e aos ouvintes. A fala deve seguir um ritmo cuidadosamente estudado, para você dar as ênfases e as pausas que contribuam para prender a atenção dos ouvintes e levar ao entendimento a mensagem.

Associada a isso, a linguagem não-verbal é um quesito que não poder ser esquecido. Sua postura corporal, seus movimentos, sua expressão facial, seus gestos, todos devem ser monitorados continuamente.

A medida que você vai praticando, irá identificar e explorar melhor as suas particularidades, criando um estilo próprio.

Assim, você conquista confiança e se torna reconhecido como um bom orador.


Fonte: Artigos Administradores / Como ser um bom orador

Os comentários estão fechados.