Como ser um grande administrador… da sua vida financeira

Como ser um grande administrador… da sua vida financeira

5 dicas de como combater o endividamento entre os jovens

Vivemos em mundo cada vez mais globalizado e extremamente consumista. Diariamente somos bombardeados com propagandas de produtos e serviços que buscam satisfazer uma “necessidade” que, na grande maioria das vezes, resulta em um grande problema: o endividamento. Outro fator que impulsiona o número de endividados no Brasil está relacionado com a facilidade de acesso às linhas de crédito que aumenta o poder de compra da população fazendo com que muitas vezes não seja possível honrar seus compromissos.

Especialistas orientam que para se ter uma saúde financeira razoável é preciso ganhar mais e gastar menos. Porém uma grande parcela dos brasileiros está fazendo justamente o inverso dessa matemática. Dados do Sistema de Informações de Crédito do Banco Central apontam que 42% da população brasileira possui dívidas em bancos e outras instituições financeiras. Entre os jovens esse fator se torna ainda mais preocupante pois segundo o Serviço Central de Proteção ao Crédito(SCPC BRASIL) aproximadamente 6,3 milhões de pessoas entre 18 e 24 anos estão com restrições no CPF em razão de atrasos financeiros, o que corresponde a 26% da população nessa faixa etária.

Com base nesses dados, elaboramos 5 dicas que se propõem a buscar maneiras de como evitar e/ou sair do endividamento:

1. Fuja do cartão de crédito – Essa é uma das ferramentas de consumo mais utilizadas atualmente, principalmente pela facilidade de aquisição. No entanto ao comprar com cartão de crédito você estará gastando um dinheiro que ainda não ganhou. O ideal é ter apenas um único cartão e usá-lo somente em casos de emergência pois os juros decorrentes das dívidas com cartão de crédito podem chegar a 700% ao ano. 

2. Procure saber quanto você deve – Muitas pessoas atingem um nível de endividamento tão alto que faz com elas sequer saibam o valor total das suas dívidas. Procure elaborar uma planilha mensal simples com dados informando por exemplo, a data do vencimento, o valor da compra, se ainda existem parcelas a pagar. Reserve também um espaço para os gastos extras(lanche, remédio, passeio…). No final faça o calculo de todas as compras e gastos. Se o total a pagar estiver maior do que os seus rendimentos, ligue o farol vermelho, é hora de redobrar os cuidados.

3. Evite despesas desnecessárias – É difícil achar quem não goste de uma balada, de fazer uma viagem, de tomar um chopp com os amigos. Porém, se o momento é de crise financeira, o ideal é que se tenha um período de “quarentena”. Lembre-se, você é o único responsável por contrair dívidas e também o único que pode eliminá-las. A economia  por não ter feito um gasto desse tipo pode representar o pagamento em dia(e sem juros) de uma fatura por exemplo. E certamente a vida irá proporcioná-lo vários outros momentos de descontração e sem preocupações.

4. Planeje o pagamento das suas dívidas – Provavelmente você não conseguirá quitar todas as suas dívidas de uma única vez. Por isso, o primeiro passo é fazer um planejamento e identificar as pendências mais críticas. Comece fazendo o pagamento dos cartões de créditos e cheques especiais pois esses possuem as maiores taxas de juros. O educador financeiro Ricardo Pereira orienta que, se possível pague também as dívidas de valor muito baixo pois a sensação de “vitória” ao honrar um compromisso atuará como um fator motivacional.

5. Mantenha o foco –  Lembre-se, disciplina é a base de todas as conquistas. Assim como em uma dieta, não adianta você atingir um objetivo e logo em seguida voltar a cometer os mesmos erros. O segredo para o sucesso é conhecido por poucos, mas o caminho do insucesso é sempre percorrido por aqueles que não planejam, não se orientam e não fazem sacrifícios.


Fonte: Artigos Administradores / Como ser um grande administrador… da sua vida financeira

Os comentários estão fechados.