Concorrência: o combustível da inovação

Concorrência: o combustível da inovação

O que a revolução industrial americana e a Uber tem incomum?

Atualmente acompanhamos a disputa travada entre taxistas e a empresa Uber, transcendendo os limites profissionais, éticos, morais e legais. A livre concorrência é um princípio constitucional, preceituado, no artigo 170, inciso IV, da Carta Magna, que deve ser respeitado. O serviço de Taxi tradicional não será substituído pela Uber, essa concorrência entre os dois beneficiará o consumidor final.

De um lado os Taxistas, uma categoria profissional presente em todo o mundo, consolidada e organizada, porém prestando serviço da mesma maneira, desde 1907, sem evoluir na forma de transportar o passageiro, que busca no Táxi, um meio ágil e confortável de chegar ao seu destino.

No lado oposto temos a inovadora empresa Uber, com cinco anos de idade, presente em 320 cidades e considerada hoje a maior startup do mundo, que notou a carência de um serviço personalizado, com foco no atendimento e conforto do cliente. A Uber inovou na maneira de transportar pessoas, fazendo seus clientes compararem e reconhecerem a diferença, a qualidade e a excelência da prestação de serviço, por um preço mais acessível.

Podemos analisar seu portfólio de serviços: UberPET, UberBAG, UberBIKE, UberBLACK e UberX (essas duas últimas fazendo concorrência direta com os Taxistas), água, petiscos, doces a vontade, e uma viagem  20% mais barata do que o Taxi.

Hoje o mercado tem diversos exemplos de concorrência saudável como CocaCola e Pepsi, Netflix e Tv por assinatura, McDonald´s e Burger King, entre outros que buscam na qualidade e preço a diferenciação. Mas vamos voltar um pouco no tempo, mais precisamente no início do século XIX com a revolução industrial americana, para compararmos a longa data e importância da concorrência.  

Os magnatas Comodoro Vanderbilt e Thomas Scott eram os grandes caciques responsáveis pelas malhas ferroviárias do país. Vanderbilt com a Accessory Transit Company e Thom com a Railroad Companycom, durante muito tempo travaram uma disputa acirrada por cargas de produtos e pessoas em seus vagões. Essa concorrência foi o combustível para o crescimento dos EUA, pois fez com que os trens transportassem produtos e pessoas de maneira eficaz, afetando positivamente a economia, dando início a uma nova era.

Assim Vanderbilt e Scott revolucionaram o serviço, nesta geração. A Uber caminha para a inovação empreendedora disruptiva, demonstrando claramente no setor de transportes a possibilidade existente de aperfeiçoamento em qualquer atividade, através da concorrência leal e buscando a satisfação do consumidor.

 


Fonte: Artigos Administradores / Concorrência: o combustível da inovação

Os comentários estão fechados.