Consultoria:o que é isso, afinal?

Consultoria:o que é isso, afinal?

Pode ser muita coisa. Para Maquiavel era o súdito que “maquiavelicamente” diagnosticava o ambiente e montava “estratégias” para os Médicis unificarem os principados

Pode ser muita coisa. Para Maquiavel era o súdito que “maquiavelicamente” diagnosticava o ambiente e montava “estratégias” para os Médicis unificarem os principados e permanecerem mais tempo e mais fortes no poder. Aristóteles foi de Alexandre. Sêneca, de Nero. Aqui, ainda confundem consultores profissionais com auditores, assessores, intermediários e lobistas, atividades outras que nada têm a ver com consultoria.

E temos nós, algumas centenas de consultores brasileiros- profissionais dedicados-, diagnosticando com o cliente o “real problema” e tentando ajudá-lo a resolver os organizacionais e os mercadológicos das empresas, agora em ambiente recessivo, após anos e anos sob intervenção, até policial, seguido de descontrole total com inflação tangenciando 90%/mês.

Esse nosso Consultor o que faz ele? Pois faz- e a recente Pesquisa do Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil 2015 confirma-, justamente, Consultoria.

Mas em que consiste a Consultoria? Ora, ela, para nós, são serviços temporários e interativos, executados por um ou mais consultores- independentes e externos- que ajudam o gestor (i) prevenir problemas, identificar e analisar o “real problema”, (ii) elaborar diagnósticos, (iii) buscar alternativas à solução, (iv) a implementar a mais apropriada, (v) e a despertar para novas oportunidades.

Ademais, nossa recente Pesquisa de 2015- agora atualizando e até confirmando tendências já detectadas nas anteriores, de 2011 e 2014, constatou o seguinte, dentre outros achados/resultados:

Faixa de faturamento: a pesquisa assinala o nº expressivo de pequenas empresas de consultoria( 78,3%), confirmando que os consultores hoje preferem a autonomia e formam parcerias para determinados trabalhos, podendo ser retomada em outra oportunidade ou não, dependendo da área de atuação e do serviço contratado; e

Local do trabalho dos serviços de Consultoria: escritórios do cliente (56,7%), com queda em relação a 2014 (59,6%), confirmando a tendência pelos Home Offices, que de (17,4%) passou a (18,1%);

Queremos crer que o Perfil da Consultoria no Brasil deste ano ( fechado em outubro 2015) denota cada vez maior engajamento e motivação do consultor com referência a sua própria consultoria e curiosidade do que pensam e fazem seus colegas.

O Consultor– parece– querer cada vez mais conhecer e ser conhecido, se integrando no seu grupo e confirmando assim, inclusive, a tendência– observada em nível internacional– de um número cada vez maior de serviços em parceria.

Além disso, e mais importante ainda, foi o alto nível de satisfação- 83, 4%- com sua própria atividade de Consultoria, quando pesquisas reiteradas– isso em todo Mundo– constatam que mais de 60% dos empregados graduados– mesmo de grandes organizações– indústria, comércio, pública, empresas internacionais– se confessam desmotivados, desinteressados e até alheios aos objetivos e destino das empresas onde trabalham.

Já os que se dizem Consultores, sem ser, aparecem em noticiários outros com expressões tristonhas apesar dos ganhos descomunais num só mês.

Também e novamente se confirma o elevado número de Consultores do sexo feminino, indicando quem sabe, quebra de preconceito e apontando uma alternativa importante de carreira para um número cada vez mais expressivo de mulheres de nível superior.

Aí vai a nossa contribuição: nossas três pesquisas– de 2011/14/15– que já permitem, confortavelmente constatar o que realmente faz, como trabalha e até como pensa, esse até então desconhecido- e por vezes, mal compreendido -, esse nosso verdadeiro, real e integro Consultor brasileiro.

Luiz Affonso Romano e Paulo Jacobsen são Consultores e autores do Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil. 


Fonte: Artigos Administradores / Consultoria:o que é isso, afinal?

Os comentários estão fechados.