Criminalização da Lava Jato: manifesto ou estratégia para justificar o injustificável?

Criminalização da Lava Jato: manifesto ou estratégia para justificar o injustificável?

Num país em que poucos se locupletam à custa de muitos por meio dos cofres públicos, publicar um manifesto condenando uma operação policial que busca mudar esse estado de coisas é demonstrar total menosprezo às instituições participantes da Lava Jato e à sociedade brasileira, principal prejudicada pelo esquema de corrupção desvendado por essa operação.

Centenas de advogados, muitos deles ligados a réus e investigados pela operação Lava Jato, publicaram um manifesto contrário à referida operação de combate à corrupção em diversos jornais na data de ontem (15/01/2016).

 

No manifesto, eles acusam a operação Lava Jato de violar os direitos e garantias fundamentais dos suspeitos, além de promover “vazamento seletivo” de informações sigilosas. Além disso, os advogados que assinam o manifesto afirmam que as prisões têm sido usadas para obter acordos de delação premiada e defendem que o que se tem visto é uma “espécie de inquisição”, na qual já se sabe “qual será o seu resultado”.

 

Desconsiderando possíveis interesses político-econômicos dos que assinaram e publicaram esse manifesto, é de se lamentar que um grupo de pessoas se proponha a “criminalizar” os resultados dessa operação policial que ajudou a recuperar parte da moralidade e da dignidade que o Estado brasileiro havia perdido com o esquema de corrupção desvendado pela Lava Jato, esquema esse que havia se entranhado na Administração Pública nos últimos anos, levando nosso país à atual crise econômico-social em que se encontra.

 

Também é inaceitável que a estratégia que vem sendo utilizada pelos que pretendem se perpetuar no poder seja empregada para tentar desconstruir os resultados da Lava Jato e subjugar os agentes públicos que participam da força-tarefa envolvida com essa operação. O próprio juiz Sérgio Moro vem sendo alvo dessa estratégia perniciosa. Porém, o ilustríssimo juiz vem com sabedoria, dedicação e espírito público julgando e condenando os envolvidos, mostrando, dessa forma, que o crime não compensa e que a justiça tarda, mas não falha.

 

Ademais, num país em que poucos se locupletam à custa de muitos por meio dos cofres públicos, publicar um manifesto condenando uma operação policial que busca mudar esse estado de coisas é demonstrar total menosprezo às instituições participantes da Lava Jato e à sociedade brasileira, principal prejudicada pelo esquema de corrupção desvendado por essa operação.

 

Em vista disso, fica o repúdio deste que lhes escreve aos que tentam desconstruir o trabalho desenvolvido até aqui pela operação Lava Jato e pelo juiz Sérgio Moro, além da torcida para que todos os envolvidos no esquema de corrupção em questão sejam devidamente identificados, investigados e julgados, bem como exemplarmente condenados.

 

Um forte abraço a todos, parabéns à Lava Jato e a Sérgio Moro e fiquem com Deus!

 

:.


Fonte: Artigos Administradores / Criminalização da Lava Jato: manifesto ou estratégia para justificar o injustificável?

Os comentários estão fechados.