Crise e motivação

Crise e motivação

Como podemos estar preparados para enfrentar e superar crises, em qualquer situação e a qualquer tempo.

Crise é uma palavra muito conhecida há gerações, pois fases difíceis e adversidades sempre existiram no Brasil e no mundo, em todas as épocas.

Também podemos distinguir a diversidade de tipos de crises, dentre as quais muitas levam a questões econômicas, mas cada uma é gerada por fatores diferentes.

Muitos brasileiros têm a sorte de não terem vivido os anos de crise na época da hiperinflação, na qual os trabalhadores tinham que literalmente correr para o supermercado no dia do pagamento, caso contrário no dia seguinte os produtos já teriam seus preços majorados, subindo 5%, 10%, ou mais, de um dia para o outro.

Não vamos entrar aqui no mérito da atual crise no Brasil, apenas citar que desmandos, corrupção, conchavos, defesa de interesses pessoais dentro da coisa pública, falta de planejamento a longo prazo e a perda da confiança na política econômica com certeza geram uma consequência, e assim aqui estamos nós, falando em crise.

“Viver é enfrentar um problema atrás do outro. O modo como você o encara é que faz a diferença”. – Benjamin Franklin

Se analisarmos a frase acima podemos perceber que independente do problema, da crise, nossos pensamentos, nossas ações, nossa motivação é que nos trarão resultados, então a pergunta que fica é:

Como você reage frente as adversidades em sua vida, se mantém motivado ou se desmotiva?

É neste ponto que desejo focar, motivação, independente de crise, de dificuldades, de obstáculos, para alcançarmos nossos objetivos precisamos sempre ser obstinados, planejar, entrar em ação, inovar.

Se recorrermos a nossa memória e conhecimentos com certeza encontraremos pessoas e empresas que sucumbiram em épocas de grande desenvolvimento econômico e outras que cresceram e tiveram sucesso em épocas de crise, caso não se lembre faça uma pesquisa no Google.

Claro que não queremos afirmar que todos conseguem crescer na crise, mas podemos afirmar que com motivação enfrentar crises torna-se muito mais fácil.

Muitas pessoas ficam paralisadas diante dos problemas, se encolhem, reclamam, colocam a culpa em terceiros, ficam insatisfeitas, desmotivadas e simplesmente deixam de agir, outras se planejam, entram em ação, assumem a responsabilidade e sentem-se motivadas, e isso ocorre independente ou não de momentos de crise.

 Minha percepção é que com ou sem crise o sucesso depende fundamentalmente de nossa motivação, seja em momentos de crescimento ou de crise, para efetivamente fazermos mais do que simplesmente sonhar ou ter ideias, para realmente planejarmos, traçarmos estratégias, ter disciplina e constância para entrarmos em ação e seguirmos em frente.

Mesmo quando falharmos ainda assim termos motivação para prosseguir ou recomeçar, levantarmos nossa cabeça e continuar a seguir nossos objetivos, mas como manter ou criar essa motivação?

Mas o que é motivação?

Motivação (do Latim movere, mover) refere-se em psicologia, em etologia e em outras ciências humanas à condição que influencia a direção (orientação para um objetivo) do comportamento. Motivação é um impulso que faz com que as pessoas ajam para atingir seus objetivos.

A motivação envolve fenômenos emocionaisbiológicos e sociais e é um processo responsável por iniciar, direcionar e manter comportamentos relacionados com o cumprimento de objetivos. Motivação é o que faz com que os indivíduos deem o melhor de si, fazendo o possível para conquistar o que almejam.

Muitos estudiosos, filósofos, psicólogos, cientistas do comportamento humano pesquisaram a motivação, entre eles Skinner, Kurt Lewin, Murray, Maslow, McClelland, Mc Gregor, Herzberg, Mausner, Snyderman, Alderfer e outros, e estas pesquisas ainda continuam. Mas não vamos aqui entrar nos detalhes de cada teoria, seria impossível em um artigo tal feito.

O que se quer é gerar reflexão sobre quais ferramentas, crenças, comportamentos, competências e hábitos precisamos utilizar para atingirmos um objetivo, isso em qualquer época, que dirá em tempo de crise.

Essa reflexão refere-se a podermos construir em nossa mente a crença da automotivação, que possamos ter dentro de nós tudo o que precisamos para nos sentir realmente motivados, isso exige muito controle e treinamento.

Muitos acreditam que se sentem desmotivados por conta de terceiros, não são valorizados no que fazem, o mercado não os motiva, não recebem uma palavra de apoio, e outras desculpas mil, bem, se permitirmos que nossa motivação seja governada por fatores externos vamos ficar eternamente a mercê da boa vontade alheia e não teremos o controle de nossas vidas ou de nossas empresas.

No dia a dia é natural recebermos mais palavras duras e cobranças do que elogios, mais natural ainda recebermos isto das pessoas próximas, família, pares, chefes, etc. Muitas vezes, também agimos assim com as outras pessoas, e sem querer, as deixamos insatisfeitas e consequentemente propensas a sentirem-se desmotivadas caso não estejam preparadas para enfrentarem críticas e aprenderem com elas ou mesmo o que consideram injustiças.

“ As pessoas costumam dizer que a motivação não dura sempre. Bem, nem o efeito do banho, por isso recomenda-se diariamente. “                           Zig Ziglar

Neste contexto é que entra a importância da automotivação, como na frase acima de Zig Ziglar, é fundamental que assim como temos que cuidar de nossa higiene pessoal diariamente, e o banho é um destes cuidados, também temos que cuidar de nossa motivação, ou seja temos que “tomar nosso banho motivacional” todos os dias, para que o efeito da motivação seja renovado constantemente. 

Esse cuidado do “banho motivacional” é que nos proporciona manter nossa automotivação, caso contrário seremos derrotados pela desmotivação, ficando paralisados, resignados e sem ação frente aos problemas, entre eles a crise.

Sonhos e ideias todos temos, muitos, a diferença está entre aqueles que tem real motivação para coloca-las em prática e aqueles que só veem obstáculos para realizar algo.

Então o que temos que nos perguntar é como podemos desenvolver essa automotivação e utilizá-la a nosso favor, e nos dias atuais existem possibilidades reais de trabalharmos esta questão com sucesso.

Então que tal nos prepararmos tanto para a crise atual como para todas as demais que um dia podem surgir? A decisão pertence única e exclusivamente a cada um de nós, enfrentar a crise com desculpas e estagnação ou repleto de motivação e ações.

“ Não pretendemos que as coisas mudem, se sempre fazemos o mesmo. A crise é a melhor benção que pode ocorrer com as pessoas e países, porque a crise traz progressos. A criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite escura. É na crise que nascem as invenções, os descobrimentos e as grandes estratégias. Quem supera a crise, supera a si mesmo sem ficar ‘superado’.

Quem atribui à crise seus fracassos e penúrias, violenta seu próprio talento e respeita mais os problemas do que as soluções. A verdadeira crise é a crise da incompetência…

Sem crise não há desafios; sem desafios, a vida é uma rotina, uma lenta agonia. Sem crise não há mérito. É na crise que se aflora o melhor de cada um… ”                                                                                                                             Albert Einsten

Portanto, visualize seus sonhos, suas ideias, viva-os, planeje, organize-se, seja constante, atualize-se, promova a motivação nos que o cercam, seja o exemplo, inspire e faça acontecer, não permita que os outros ou as crises sejam os únicos responsáveis por seus resultados, você tem o poder e a responsabilidade de guiar seus próprios passos, de gerir sua vida e seus empreendimentos.

Como iniciamos este artigo, sim, momentos de crise são uma realidade intrínseca a sociedade humana, seja de que natureza for, muitas existirão em nossas vidas. Agora cabe a nós decidirmos como é melhor enfrentar e superar estes momentos e aproveitar a oportunidade de nos blindarmos com o escudo da motivação.

 

Ricardo Gameiro


Fonte: Artigos Administradores / Crise e motivação

Os comentários estão fechados.