Crise transição e transformação

Crise transição e transformação

Gerenciamento de mudanças com programação neurolinguistica

A pergunta que não quer calar, na maioria das vezes, é:“Afinal aonde estou e aonde quero chegar”? Se ainda não consigo me localizar no meu momento presente teria muita dificuldade em descobrir aonde posso e quero chegar, não basta ter muito conhecimento teórico, entender de vários assuntos, saber da história do Brasil de Thomé de Souza a Dilma Russef, ter estudado ufologia, entender muito sobre extraterrestre, mesmo conhecendo tudo isso é fundamental entender de gente.

Encontro pessoas nessa vida de peregrino do saber que têm muita dificuldade de definir suas metas, chegama criá-las, mas dois dias depois esquecem os seus verdadeiros significados, perdem-se no emaranhado de situações do dia a dia e não conseguem manter a disciplina, o foco e a persistência.Tudo isso,por falta de um objetivo definido, pois quando sabemos para onde vamos qualquer lugar serve, parafraseando um pensador anônimo.

Definir metas, estabelecer objetivos e definir como quero chegar faz parte da estrutura mental de quem sabe o que quer.Quando não temos esses predicados nos tornamos vulneráveis,sem termos a obrigação de nos preocuparmos com o resultado. Quando agimos assim temos o objetivo de chegarmos alugar nenhum partindo do meio do nada, como bem disse MiltomErickson.

Definir um objetivo é entender de crise, transição e transformação.O estágio mais elevado da consciência é quando reconhecemos que algo precisa ser mudado, construindo um novo conceito de que somos capazes de fazer a diferença e, como ponto balizador, é fundamental aprendermos a usar as ferramentas daProgramação Neurolinguística.

Essas ferramentaspodem nos gerar oportunidades de entendimentos que nos leve a um objetivo definido e um caminho traçado para superar nossos próprios limites, atingir o mais elevado nível de satisfação com aquilo  que realizamos.Abrir as comportas do nosso cérebro para absorvermos novos conhecimentos, teóricos e vivenciais, quebrarmos paradigmas, estabelecermos uma relação de satisfação do eu com o eu, tendo como certeza que saber aondeestou e aonde quero chegar é o ponto de partida para qualquer projeto, e quanto mais aprendemos, mais precisamos aprender, o muito que sabemos é pouco diante de tudo que o universo nos oferece e cada dia temos necessidades de mais.

Aprender de forma descontraída, divertir-se com suas próprias descobertas no que diz respeito ao seu potencial, saber que você é capaz de vencer qualquer desafio desde que acredite e faça sua parte.Isso não significa sair por aí desenfreado em busca de algo que ainda não sabe o que é, mas significa que toda ação precisa ser planejada e que não basta planejar no papel, é fundamental planejar na mente e depois passar para o papel ou arquivo digital.

Nos meus mais de 15 anos trabalhando com treinamentos na área de desenvolvimento humano descobri que para ser feliz é indispensável gostar de pessoas, saber que nada,além de pensar, pode ser feito sozinho, que as melhores estratégias foram desenvolvidas em grupo e que o conceito de autossuficiente pode ser um veneno contra os bons relacionamentos. Use a Programação Neurolinguística como ferramenta poderosa na ressignificação de processos internos para proporcionar o bem-estar ás pessoas.


Fonte: Artigos Administradores / Crise transição e transformação

Os comentários estão fechados.