Currículo e ética

Currículo e ética

O mercado de trabalho na atualidade funciona como uma roda moinho, renovando-se a cada dia. O que se busca não apenas desempenho técnico, objetivo, mas acrescente-se a isto, competências comportamentais

APRESENTAÇÃO

 O mercado de trabalho na atualidade funciona como uma roda moinho, renovando-se a cada dia.  O que se busca não apenas desempenho técnico, objetivo, mas acrescente-se a isto, competências comportamentais.  E um dos primeiros contatos com este mundo do trabalho, é sem dúvida o currículo, onde são destacados perfil, responsabilidades assumidas durante os períodos anteriores trabalhados, e o objetivo de carreira e habilidades.  É o primeiro contato com a empresa, ou seja, é a primeira impressão da marca você.  Currículo trata-se de um documento sério e verdadeiro, onde as consequências podem ser danosas a quem não usar da conduta ética nas informações contidas.  É um documento de fé pública.   E na ética, que está relacionada ao caráter e ao bom viver humano, ao bom relacionamento humano, ao comportamento interpessoal, está na atitude, é intrínseco ao ser humano, e tem grande importância na vida pessoal e profissional de cada um.  

DESENVOLVIMENTO

“Tudo o que um sonho precisa para ser realizado é alguém que acredite que ele possa ser realizado.“      Roberto Shinyashiki

 A concepção para currículo traz na sua história diferentes contextos, porém, esta abordagem é entender o papel funcional que este documento representa nos tempos atuais.  Uma breve revisão da origem, ou seja,  a primeira vez que surgiu a palavra currículo, data os registros históricos de século XVI, aplicada a área acadêmica, estando assim vinculada a uma estrutura educacional, um programa que apresenta a sequência lógica para certificação ou diplomação de um estudante. Para (HAMILTON, 1992) o curriculum designava a um curso completo, por período determinados de anos. Neste entender, aos discentes que obtivesse resultados a cada ano ou período, ou seja, transitar por todo curriculum, estes recebiam o diploma, onde a instituição de ensino se responsabilizaria, certificando a formação de pessoas aptas às exigências do mercado de trabalho da época.

 Cabe neste breve parecer, a reflexão focada no mercado atual, a função que este documento concebe ao profissional perante uma oportunidade. A discussão histórica deste tema, traz uma abordagem no processo focado na aprendizagem, na diagramação do ensino, o que  não é objeto deste trabalho.

 Curriculum  vitae ou simplesmente  ou simplesmente currículo, em português. Tem sua origem do latim e significa trajetória de vida.   É um documento de fé pública que relata um histórico de vida, seja acadêmico, experiências profissionais, desenvolvimento pessoal e competências adquiridas na trajetória. 

 O currículo é a primeira impressão, o primeiro contato que o empregador terá com sua marca. Pode-se dizer que é um “Pré-venda” ou “Vitrine”, ou ainda, a primeira IMAGEM, primeiro passo para obter SUCESSO na busca de um  novo emprego.  Não é apenas um histórico de um passado profissional. É a entrada no mercado, o primeiro passo na obtenção e alcance do seu objetivo profissional.

O que o currículo revela:

  • DE FORMA GENÉRICA – reflete o que você mais quer fazer;  lista suas  qualificações que sustentem os seus objetivos.

 

  • DE FORMA DIRECIONADA – Apresenta suas competências e realizações em atendimento ao que a empresa necessita para ocupar determinada vaga.

 Um currículo pode representar a diferença entre atrair a atenção da empresa que está buscando candidatos – e conseguir o emprego dos sonhos! – Ou ser descartada de imediato.   Fatores como: mentira, erros de português e aparência e organização, são fatores críticos para um profissional que busca um futuro promissor.

Ao montar um currículo, faz-se necessário responder questões como:

  1. O que de fato necessito como competências, habilidades, conhecimento, para atender as expectativas do mercado?
  2. Conheço de fato meus objetivos?
  3. Estou ciente da responsabilidade de que as informações contidas num currículo devem ser verdadeiras, com risco de ser demitido?
  4. Que um currículo é um documento, e, portanto, não pode ser falso?
  5. Quais os valores e competências que tenho para contribuir, atender ou até superar as expectativas do empregador?
  6. Qual a razão da minha escolha por uma empresa?

A elaboração de um currículo deve ser considerada como sinônimo de oportunidade, onde pode se  fazer a diferença na apresentação dos seus talentos. É a sua marca! 

O currículo tem como objetivo fundamental, fornecer o perfil da pessoa para a empresa, como também pode ser utilizado como apoio em situações acadêmicas. E, é o principal instrumento de recrutamento e seleção, o primeiro contato com a empresa.  O que é percebido na prática

Dentro do contexto atual de mercado de trabalho, o conceito de currículo tem como função a apresentação física, pode ser entendido assim, por apresentar dados formais da evolução de uma pessoa em sua trajetória de carreira.  Contudo, o fator técnico, o desempenho objetivo apresentados, são apenas referenciais para um convite de seleção, isto devido a transitoriedade  dada as competências técnicas para as comportamentais, ou seja, o indivíduo não é só o que produz, mas o que faz acontecer. E entre estas atitudes, está a ética,  um dos alicerces da vida em sociedade é a ética.   

Aqui será tratada a  ética empresarial.  Tema bastante abordado e discutido nas organizações, de tal forma, que anúncios de oportunidades de emprego já  sinaliza para esta questão.  Uma visão clara como as empresas estão formalizando esta conduta em sua estrutura organizacional.  E, esta conduta inicia quando se apresenta o currículo na empresa.  Não é só a apresentação estética de que se está falando ou a  linguagem empregada, mas a verdade com o que está escrito, relatado, informado. 

Sabemos que a  ética é uma característica inerente a toda ação humana e, por este motivo, é fator essencial no desenvolvimento da carreira.   O  senso ético,  permite ao indivíduo avaliar-se continuamente em suas ações se são boas ou más, certas ou erradas, justas ou injustas,  como concepção do caráter, hábito, índole, natureza, costume. 

 Para que haja então ética empresarial, se faz imprescindível, de forma igual, o desenvolvimento das competências como:   

  1. LIDERANÇA EFICAZ – não basta que haja líderes, eles devem estar integrados por verdades comuns;
  2. ORGANIZAÇÃO PARTICIPATIVA – que as estruturas estimulem a participação, a criatividade, a descentralização e a delegação de autoridade;
  3. VISÃO E AÇÃO ESTRATÉGICAS – que se desenvolva simultaneamente a percepção diagnóstica (saber o que está acontecendo) e o pensamento estratégico (saber definir cenários do porvir e tomar decisões eficazes).

Competências essas que são percebidas não como uma prática entre algumas organizações, como a valorização do TER, do mais,  o marketing como justificativa das atitudes não éticas.  A ética empresarial atrai e retém talentos, clientes e fornecedores éticos e responsáveis.  Do contrário, o que esperar da atitude do outro?  Então, preservar e desenvolver a consciência ética nos STAKEHOLDERS são condição básica de sustentabilidade nos processos organizacionais saudáveis e a excelência da imagem institucional, através de ações concretas e responsáveis socialmente.

 CONSIDERAÇÕES FINAIS

 É percebido neste trabalho, o quanto é importante um currículo elaborado com a estrutura e a linguagem correta, além claro, das informações nele contidas. Seu funcionamento como marketing pessoal é de fundamental importância para o primeiro contato com o mercado de trabalho.  Portanto, não é um pedaço de papel escrito, para encaminhar para alguma empresa, é um documento de fé pública, precisa ser verdadeiro.  É ele que abrirá as portas ou fechará das empresas.  Considerando que as empresas buscam uma marca, e esta, inicia com este portfólio, chamado currículo.

Mas, não basta apenas um currículo bem elaborado, as empresas buscam a complementaridade do indivíduo que se coloca à disposição para uma nova oportunidade. São as competências comportamentais.

Uma  outra importante abordagem aqui realizada, sobre a ética do ponto de vista empresarial.   Empresas que adotam o comportamento ético atuam como uma comunidade de pessoas éticas; uma empresa cuja conduta expressa valores, atitudes e comportamentos.  Pelas ações destas empresas, é que tornam-se modelo de coerência na qualidade das relações com todos seus stakeholders.  Não é um discurso falacioso que diferente da realidade, é filosofia de gestão e prática empresarial.

REFERÊNCIAS

HAMILTON, David. “Sobre as origens do termo classe e curriculum”. Teoria e Educação, n. 6, 1992


Fonte: Artigos Administradores / Currículo e ética

Os comentários estão fechados.