Da rejeição ao triunfo: como Patati e Patatá conseguiram conquistar o mundo

Da rejeição ao triunfo: como Patati e Patatá conseguiram conquistar o mundo

“Muitas foram as dificuldades, mas a persistência nos fez superá-las”, diz Rinaldo Faria, criador e dono da marca Patati Patatá

Poucos sabem, mas a história de Patati e Patatá começou ainda na década de 80, quando faziam parte de um quarteto musical circense. Porém, o nome da dupla era outro: Tutty Fruty e Pirulito. Na verdade, Patati e Patatá só nasceram mesmo cinco anos depois, em 1990, através das mãos do empresário paulista Rinaldo Faria, de 43 anos.

“Eu queria fazer dois personagens bem diferentes dos palhaços existentes na época. Queria que as crianças tivessem a sensação de estar brincando com dois bonecos. Sapatos bem grandes, perucas, chapéus diferenciados e uma roupa bem estufada me ajudaram a conseguir este efeito”, conta Rinaldo.

Naquela época, ainda no início da carreira, a maquiagem era testada em si próprio, e as roupas confeccionadas por sua mãe. “Era tudo muito caseiro”, relembra o empresário.

Os primeiros (e segundos) desafios 

Segundo Rinaldo, no início de seu projeto Patati Patatá, uma das maiores dificuldades foi provar às emissoras de TV que uma dupla de palhaços poderia fazer sucesso entre o público infantil — assim como acontecia nos anos 90, quando a prática era bastante comum.

No entanto, nenhuma emissora se interessou pelo projeto de cara, o que obrigou Rinaldi a seguir o seu plano B. “Sem espaço na TV, pensei: vamos conquistar cada fã, um a um, e partimos para realizar apresentações diárias nas escolas. Foi a forma que encontrei para sustentar meu sonho e manter-me de pé até que o sucesso chegasse”, conta o executivo.

Homem de fé, o empresário acredita que o sucesso da dupla veio em “primeiríssimo lugar e sem sombra de dúvidas de Deus”, além de muito amor pelo trabalho realizado. “Você deve amar o que faz e procurar fazer da melhor forma possível. Tivemos que trabalhar muito e ter cuidado com a marca. Aí vem a dedicação e a coragem para enfrentar os obstáculos”, orienta.

Outro motivo apontado por Rinaldo foi o trabalho corpo a corpo e o contato direto com o público. Do início da dupla até a estreia na TV, foram 25 anos de muitas apresentações diárias em escolas, festas e pequenos shows realizados em todo o País, o que gerou a fama nacional e o interesse de emissoras abertas e fechadas. Atualmente, o problema enfrentado pelo empresário e pelos seus funcionários é outro: as falsificações.

Segundo ele, falsas duplas de palhaços se apresentam em circos e festas de todo o Brasil utilizando o nome “Patati Patatá” ilegalmente. Para solucionar o problema, o empresário passou a contar com uma equipe de profissionais que procuram anúncios de shows piratas e entram com medidas jurídicas a fim de evitar as apresentações.

Uma franquia de Patatis e Patatás 

Vale salientar que todo o trabalho não foi realizado apenas por uma única dupla de palhaços. Com o crescente sucesso e a agenda cada vez mais cheia, o empresário teve a ideia de montar várias duplas de atores, algo parecido com uma franquia. Mas, para entrar nesse meio, é necessário ter o perfil adequado.

O exército de Patatis e Patatás é formado por jovens altos e magros, que realizam aulas de canto para terem entonações extremamente parecidas com a da dupla inicial. Segundo estimativa da empresa, em 2010 eram 80 atores responsáveis pelos personagens, divididos em 17 estados do País. 

Quando perguntado sobre o interesse em internacionalizar a marca, Rinaldo é breve: “já estamos internacionalizando”. Segundo ele, este era um dos principais objetivos e está presente desde a criação dos personagens, quando ele pediu para sua mãe confeccionar o Patati nas cores da bandeira Americana (branco, azul e vermelho) e o Patatá contendo verde e amarelo (representando o Brasil).

Do Brasil para o mundo 

Demorou, mas chegou. Após 18 anos de apresentações no Brasil, a dupla fez quatro shows nos Estados Unidos e colocou combustível na carreira internacional. No entanto, segundo Rinaldo, não era a hora ainda. “Tínhamos que nos preparar mais. Então gravamos dois DVDs em inglês e dublamos todo o nosso acervo em espanhol”, conta o paulista.

Em 2014, shows foram feitos em Luxemburgo e na Bélgica, o que ampliou a vontade do empresário em espalhar a palhaçada por todo o mundo. “Atualmente, com o contrato pela Discovery Kids o programa ‘Parque Patati Patatá’ será exibido em toda a América Latina. Agora sim, acreditamos que o Patati e Patatá vão levar a alegria que tanto contagia as crianças brasileiras para o mundo”, vibra Rinaldi.

Atualmente, a marca é uma das que mais faturam com publicidade e entretenimento em todo o Brasil. Estima-se que 70% das receitas da marca venham da publicidade da TV e venda produtos como CDs e DVDs, além da realização de shows e eventos. Os outros 30%, segundo a empresa, vêm do licenciamento de mais de 500 produtos, tal como cadernos, lápis, copos, roupas e brinquedos. Outra estimativa aponta que a marca faturou cerca de R$ 30 milhões em 2011. “Muitas foram as dificuldades, mas a persistência nos fez superá-las”, diz. 

O objetivo principal do empresário é realmente internacionalizar a marca. Porém, não é o único. Que tal um filme sobre eles? E um parque temático? Estes são apenas dois dos vários planos futuros do empresário. “O céu é o limite”, finaliza Rinaldi com otimismo. 


Fonte: Notícias Administradores / Da rejeição ao triunfo: como Patati e Patatá conseguiram conquistar o mundo

Os comentários estão fechados.