De olho na liderança feminina

De olho na liderança feminina

Equidade de gêneros e liderança feminina

Sempre atuei na área de eventos e em setores predominamente masculinos, estive a frente da organização da maior feira metroferroviária do Brasil por quase 10 anos.  Quando resolvi alçar voo como empreendedora, abrindo a CKZ Eventos, percebi que um tema que pouco se falava era liderança feminina.

Na época estava finalizando meu MBA em Gestão Estratégica de Negócios na FGV. Com apoio do meu professor do curso e da fundação, resolvi assumir os riscos de criar o Fórum Mulheres em Destaque, a primeira iniciativa no Brasil com foco na ascensão das mulheres aos cargos de liderança nas corporações.

Em 2011, quando lancei a 1ª Edição do evento, tive muita dificuldade em viabilizá-lo, pois além de ser um tema muito inovador, as próprias mulheres não se sentiam a vontade para se inscrever em um evento focado no aprimoramento de suas carreiras. Perdi a conta de quantas vezes ouvi frases como – não tenho como justificar para o meu chefe que vou participar de um evento para mulheres, mesmo que seja para o meu desenvolvimento profissional.

Um ano depois, na segunda edição, inovei mais uma vez trazendo cases de empresas que adotaram programas e práticas de equidade de gênero voltadas para impulsionar as carreiras femininas, justamente porque as empresas entenderam que era preciso investir nessa questão para conquistar melhores resultados.

Hoje percebo que os temas liderança femininae equidade de gêneros nas empresasganhou mais espaço na mídia e diversos movimentos em prol das mulheres na liderança começaram a surgir. Em paralelo, diversas pesquisas de relevantes consultorias têm mostrado que esse equilíbrio de gêneros, ou seja, homens e mulheres no comando, traz mais resultado financeiro para as empresas. Inclusive apresentamos um estudo da Mckinsey & Cia com um dado surpreendente: os conselhos administrativos com pelo menos uma mulher na composição, tiveram resultados 50% maiores do que aquelas que não contam com a presença feminina.

Esse e outros dados têm mostrado aos CEOs que a equidade de gênero nas organizações deixou de ser uma responsabilidade social e as empresas têm percebido a importância de investir em programas para reter talentos e contribuir para o crescimento das mulheres aos altos cargos de gestão. O presidente da Philips, que participou do Fórum em 2014, compartilha da mesma visão. “O papel dos dois sexos é fundamental”, ressaltou Henk, que disse que hoje as mulheres estão com a faca e o queijo na mão, porque as empresas perceberam a importância desse equilíbrio e estão cada vez buscando mais mulheres para as equipes.

O Fórum Mulheres em Destaque surgiu justamente com a proposta de ampliar essa discussão e contribuir para o aumento de mulheres em cargos de liderança. Para que isto aconteça, é preciso discutir, entender, prepará-las e falar sobre iniciativas, projetos e programas que contribuam para a inclusão dessas mulheres.

Por conta disso, temos um Conselho Consultivo formado por 13 líderes empresariais e inclusive um CEO homem, que oferecem sua visão do mercado e também contribuem com temas e palestrantes para agregar mais conteúdo ao evento. Também percebemos com a evolução do evento nesses cincos anos que alguns temas precisavam ser mais aprofundados, e criamos a Plataforma Mulheres em Destaque que além do Fórum conta com cursos para desenvolvimento de habilidades técnicas para mulheres como comunicação, negociação e storytelling.

Sabemos que ainda temos um longo caminho pela frente até alcançarmos a equidade de gênero na liderança e nos conselhos das empresas, mas temos dado passos cada vez mais largos.

Nesse ano, na quinta edição do Fórum, vejo que o interesse é cada vez maior e que os líderes querem conhecer os cases de sucesso das empresas que já tem programas consolidados.

Precisamos falar cada vez mais sobre o assunto. Segundo pesquisa da FGV, as mulheres hoje ocupam apenas 8% dos cargos de liderança do Brasil. Esse número é baixíssimo perto da capacidade de muitas mulheres que estão no mercado e que podem ir muito mais longe. O que elas precisam é de mais espaço, oportunidade e iniciativas das empresas para que elas possam chegar ao topo das organizações.

Publicado originalmente em http://larissapilz.com.br/mais-mulheres-na-lideranca/


Fonte: Artigos Administradores / De olho na liderança feminina

Os comentários estão fechados.