Dicas para realizar uma boa palestra

Dicas para realizar uma boa palestra

Trata-se de um resumo de alguns pontos essenciais para uma apresentação bem sucedida, incluindo elaboração e apresentação de conteúdo e medo de falar em público.

Introdução

Este artigo pretende fornecer dicas acerca da apresentação de palestras, abordando, para tanto, assuntos como elaboração e apresentação de conteúdo bem como o medo de falar em público.

O texto é destinado aos pretensos palestrantes, bem como a qualquer pessoa que pretende ou deverá realizar uma apresentação.

Experiências pessoais

Fiz um simples resumo de alguns pontos que considero essenciais para uma apresentação. Para tanto, utilizei-me dos conhecimentos práticos, adquiridos desde 1998, quando comecei a falar em público.

Atualmente, preciso conciliar palestras em projetos sociais e a minha profissão. Mas, confesso que gosto do que faço. Aliás, fazer o que se gosta sempre nos permite fazer com excelência. 

Seja em um sala para estudantes universitários, seja em um evento de inclusão social ou, ainda, em uma banca de juízes de um tribunal, falar em público gera-me grande satisfação, pois tenho a sensação de que estou contribuindo com uma sociedade melhor.

Evitando uma palestra cansativa

Palestras chatas são como sessões de tortura. Ninguém gosta!

Seguem algumas dicas simples:

Empatia: sabendo disso, os melhores palestrantes utilizam a técnica da empatia, colocando-se no lugar do ouvinte. É perceptível que algumas pessoas têm certa vocação para serem empáticas. Mas, caso não a tenha, desenvolva.

Slides: evite o excesso de slides. Reduza o que puder. Utilize ou desenvolva o poder de síntese. Não seja prolixo, seja objetivo. O excesso de slides pode anular seu dinamismo.

Palestra lida: as pessoas não vão a uma palestra para ouvir alguém ler. Bastaria entregar uma apostila com o conteúdo. Seja natural e dinâmico. Se possível, seja descontraído, caso o tema permita.

Dicção: utilização da voz. Este é um assunto para nossos amigos fonoaudiólogos. Mas, ao menos recomendo que tome cuidado com a pronúncia das palavras e com o timbre da voz. A oratória recomenda que você utilize ‘variações’ durante a fala, para dar ênfase e ‘despertar’ os cérebros dos ouvintes. Além disso, não fale ‘atropelando’ sílabas, gritando ou sussurrando.

Ensaio no espelho: é sério! Se necessário, apresente sua palestra inteira para um espelho. Se possível, grave (até mesmo no celular) para ouvir sua voz. Enquanto fala, escute-se com atenção. Coloque-se no lugar do ouvinte. Observe suas expressões no rosto e as gesticulações.

Referências: observe os melhores palestrantes. Acredite! Tudo na apresentação deles é importante. Alguns, além da vocação, estudaram e praticaram a oratória por anos. Observá-los é uma aula prática. Você tem o poder de observação? Então faça uma análise de como eles olham, para onde olham, como movimentam as mãos, os pés, as pernas, o sorriso, a expressão séria ou serena, as brincadeiras, as variações de comportamento. Enfim, a lista é enorme. Basta ‘estudá-los’.

Público alvo: respeite seu público. Não o subestime. Por outro lado, leve em consideração o nível intelectual dos seus ouvintes. Utilize a linguagem adequada. Como já mencionado, não seja prolixo. Outrossim, evite forçar palavras rebuscadas, na tentativa de impressionar. O efeito pode ser contrário.

Medo de falar em público

Você tem medo de falar em público? Seja bem-vindo! Não se trata de um privilégio seu.

Em meados do ano de 2001 fui realizar uma apresentação em Minas Gerais. Chegando lá, fiquei assustado com a quantidade de pessoas, bem como com o ‘gabarito’ de alguns ilustres participantes. Foi a primeira grande experiência de medo. Respirei fundo, fiz algumas brincadeiras discretas e comecei a falar. Após 5 (cinco) minutos, parecia que eu estava falando com colegas.

Lembre-se! Alguém disse: “Coragem não é a ausência do medo, mas o triunfo sobre ele”.

Seu medo é superável! Conheço muitos palestrantes que nunca fizeram um curso de oratória, nunca consultaram um fonoaudiólogo. Alguns, nem mesmo possuem ensino superior. Contudo, são apresentadores natos.

Não faça do ótimo o inimigo do bom. Comece, faça e, após o início, busque o aperfeiçoamento.

O único remédio é a prática. Você poderá tremer e embargar a voz, mas terá que vencer. Se possível, comece com apresentações mais fáceis.

Conclusão

O mais importante é dominar o tema. Assim, você poderá ser natural e não um robô leitor de texto. As pessoas percebem quem não domina o que está falando.


Fonte: Artigos Administradores / Dicas para realizar uma boa palestra

Os comentários estão fechados.