E onde está a praticidade na Gestão de Projetos?

E onde está a praticidade na Gestão de Projetos?

Em pleno ano de 2016 e onde estão os casos práticos de Gestão de Projetos? Existe uma enorme dificuldade de se encontrar artigos que fujam da literatura e demonstrem o que deu certo e o que deu errado na prática e que compartilhem suas lições aprendidas

Durante um pouco mais de um ano de trabalho com metodologias de gestão de projetos, inúmeras vezes encontrei dificuldades para entender o como implementar as metodologias e criar a cultura. Encontrei diversos “passo a passo”, mas todos eles reproduzindo o que a literatura ensina e nenhum dizendo o como realmente fez na prática. Vou comentar três dificuldade pontuais que tive.

A primeir dificuldade que encontrei foi ao implementar o framework Scrum: como implementar esse framework sem influenciar na cultura já existe? Afinal de contas, qualquer metodologia ou processo adotado serve apenas como apoio ao processo já existente na organização, devendo se adequar ao mesmo. Pensar que as pessoas e seu processo de execução devam se adequar a metodologia ou processo é realizar um trabalho sem sentido. A ideia principal é auxiliar os colaboradores a alcançarem os objetivos do projeto, de maneira mais prática, produtiva e fácil. Infelizmente, nem toda literatura lembra disso, lda importância do próprio colaborador e de como o mesmo possui informações valiosas. Então, essa foi a minha primeira dificuldade: como iniciar uma cultura de projetos sem influenciar na cultura organizacional, neutralizando quaisquer problemas de relutância e resistência ao modelo proposto? As respostas não estavam na literatura e não encontrei qualquer material que dispusesse de informações práticas do assunto que não fosse o próprio bê-a-bá da literatura, com palavras mais bonitas.

A seguir, quis iniciar uma cultura de Gestão de Riscos e qual foi a minha surpresa a não encontrar material falando sobre como fazer isso, o que deu certo e o que deu errado, quais as dificuldades encontradas! Mais uma vez a resposta não esteve na literatura e em nenhum outro material.

Após um período com o processo utilizado, comecei a rever o mesmo, a partir das lições aprendidas de cada Sprint e então, comecei a re-estruturar o processo de planejamento. Processo estruturado, como implantar? Como colher as informações necessárias dos mais diferentes stakeholders? Que ferramentas e técnicas utilizar? E mais uma vez, sem respostas.

Considerando a importância que cada vez mais a Gestão de Projetos tem assumido nas organizações e como está deixando de ser, com os modelos que estão sendo propostos, algo teórico para ser algo cada vez prático e adaptativo, a falta de informações práticas sobre o assunto contribui para manter aquele engessamento da área. Todos compreendem como “cada caso é um caso”, mas é sempre bom ouvir aqueles que já fizeram e já tentaram. Onde estão os exemplos práticos? Onde estão as lições aprendidas? Onde está a praticidade da Gestão de Projetos?


Fonte: Artigos Administradores / E onde está a praticidade na Gestão de Projetos?

Os comentários estão fechados.