Economia compartilhada – Uber, Netflix, WhatsApp e outros

Economia compartilhada – Uber, Netflix, WhatsApp e outros

Vivemos a 4ª Revolução Industrial e a era dos Smartfones e redes sociais, grande parte da população procuram a facilidade nesses dois meios e encontram a economia compartilhada e todos os seus benefícios

Antes de entrar em um assunto tão polêmico, quero deixar claro minha posição de que sou a favor sobre as novas tendências tecnológicas ou qualquer outra forma que facilite a vida e ofereça conforto, pagando menos é claro.

Recentemente fiz uma pesquisa sobre o perfil do consumidor e escrevi um artigo sobre esse assunto, é claramente visto que as coisas mudaram e a tecnologia chegou com tudo, vivemos a 4ª Revolução Industrial e a era dos smartphones e redes sociais, grande parte da população procuram a facilidade nesses dois meios e encontram a economia compartilhada e todos os seus benefícios.

Essa era digital nos impulsionou para um novo mundo, no qual o conservadorismo não se sustenta e a tecnologia redefiniu o conceito de comunidade. Com isso, temos o novo contra o velho e diariamente lemos assuntos sobre a intriga de grandes empresas do tipo: CIA de Taxi contra Uber, Operadoras Telefônicas contra WhatsApp, TV a Cabo contra Netflix, entre outras.

Irei fazer uma breve comparação de alguns serviços da economia compartilhada:

Taxi X Uber
Ao analisarmos uma Cia de Taxi e o Uber nós vemos muitas vantagens no Uber e muita burocracia em uma Cia Taxi. Os taxistas pagam muitos impostos, taxas e afins. Logo entendemos o porquê as corridas serem caras em relação ao Uber, que por sua vez, são baratas e segue as premissas de ter um carro preto de luxo e o cadastro em um aplicativo. Claro que também envolve uma certa burocracia em relação ao motorista e toda a tecnologia por trás de tudo, taxas e impostos dos carros, porém, são bem menores que as de um taxi, sem falar nas facilidades de pagamento que um Uber oferece e todo o conforto.

Ouve-se dizer que o governo deve aplicar as mesmas medidas e as mesmas taxas e impostos ao Uber e encarecer o serviço, para ter a tal concorrência justa, mas não ouço dizer em dar as mesmas vantagens de um Uber para um Taxista para baratear o serviço, o que isso seria vantajoso em ambos os casos. Imagino que logo veremos empresas oferecendo carro preto de luxo para taxistas, afim de servirem o propósito do Uber.

TV a Cabo X Netflix
Para ter uma TV a Cabo, precisa de uma antena, um técnico para instalar, deslocamento do técnico e pagar uma taxa mensal sobre pacote que você escolheu e outros tributos. Gera muito gasto e tem um certo retrocesso diante a tecnologia disponível.

Já com a Netflix, você pode assistir tanto em uma TV quanto em um computador, smartphone, tablets e video-games, basta ter o aplicativo e estar conectado à internet. Você escolhe o que quer assistir e paga uma taxa mensal muito inferior ao de uma TV a Cabo.

A Netflix por sua vez não tem toda a programação disponibilizada da TV a cabo, o qual acredito ser o diferencial deles, porém, acredito que a Netflix sirva de exemplo para as emissoras de TV começarem a disponibilizar seus programas na mesma plataforma.

Operadora Telefônica X WhatsApp
Operadoras telefônicas cobram taxas, taxas e mais taxas sobre um serviço de má qualidade, sabemos disso. Muitas coisas mudaram nos últimos 5 anos e houve muito investimento em torres, satélites e centros de comunicação.

O WhatsApp por sua vez, envia mensagens de graça, áudio de graça e faz ligações de graça, basta ter o aplicativo que a propósito também é de graça e estar conectado à internet.

Outro dia li a seguinte matéria: “A briga das operadoras é especificamente sobre o serviço de voz, que basicamente faz a chamada a partir do número de celular. O argumento é que o número de celular é outorgado pela Anatel e as empresas de telefonia pagam tributos para cada linha autorizada, como as taxas do Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (Fistel), o que não é feito pelo WhatsApp. De acordo com a consultoria especializada Teleco, as operadoras pagam R$ 26 para a ativação de cada linha móvel e R$ 13 anuais de taxa de funcionamento. ” G1 – Globo

Então eu penso, já que a briga é por causa dos números telefônicos, o WhatsApp pode muito bem partir de um acesso via o login do FaceBook, já que ambas empresas pertencem ao mesmo dono.

No meu ponto de vista, empresas telefônicas deveriam acompanhar esse avanço e investir mais em conexão de acesso à internet para melhorarem e aprimorarem esses serviços, já que é de tal importância para esse conceito de comunicação.

Vejamos também o exemplo do Nubank que é a nova geração de serviços financeiros, que não cobra taxa alguma do cartão de crédito e dispõe de um serviço excepcional diante grande empresas do mesmo ramo. A AirBNB, serviço que disponibiliza núncios de reservas e acomodações disputando mercado com grandes redes hoteleiras e imobiliárias.

São serviços excelentes que mudaram vida do consumidor e quebrou muitos paradigmas.

Enfim, deixo minha dica para essa nova geração de empreendedores de que existe uma nova geração de clientes que exigem o bom e o melhor querendo pagar menos, independente da marca. Aproveite essa crise pela qual passamos e crie algo, não precisa ser inovador e grandioso, tem que ser apenas bom e barato, que facilite a vida do consumidor, pois é exatamente isso que todos procuram.


Fonte: Artigos Administradores / Economia compartilhada – Uber, Netflix, WhatsApp e outros

Os comentários estão fechados.