Em tempos de crise, o Marketing Digital como saída

Em tempos de crise, o Marketing Digital como saída

Em tempos de retração de consumo, manter-se em evidência e promover a continuidade das vendas é estratégia de sobrevivência às empresas de todos os portes. Mas como conciliar esse desejo com os custos cada vez mais proibitivos da publicidade tradicional?

Nem o empresário mais otimista ignora o fato de que o cenário econômico atual apresenta um momento de retração de investimentos e de diminuição do consumo. Previsões do Fundo Monetário Internacional divulgadas no último dia 06 de outubro apontam uma perspectiva de contração de 3% no Produto Interno Bruto brasileiro e já é perceptível que o consumo de certos produtos e serviços, considerados não tão essenciais, já esteja a enfrentar indícios de queda.

Neste cenário, as empresas enfrentam alguns dilemas no que tange às decisões de investimentos publicitários. Se ao mesmo tempo é importante se manter em evidência para que não caiam no esquecimento de seus consumidores, também é importante que estas decisões tragam um retorno mais assertivo e promovam a continuidade de suas vendas, se reafirmando em um momento em que todo incremento nos negócios, mais do que ser bem-vindo, é fundamental à sobrevivência.

E com os custos de veiculação tradicional considerados altos em momentos de menor circulação de dinheiro, como atender essas duas necessidades e manter ou ampliar o volume de vendas, mesmo na crise? Um dos caminhos que muitas empresas estão pondo em prática, e colhendo resultados em relação à concorrência, é a destinação de um percentual cada vez maior do budget publicitário ao marketing digital em seus planejamentos de mídia.

Por mais que muitas empresas ainda percebam o digital apenas como sinônimo de mídias sociais, o marketing digital pode compreender uma série de ações que extrapolem estas redes e possam atingir o consumidor em múltiplas plataformas, situações e etapas do processo de consumo ou relacionamento com a marca, produto ou serviço.

Inbound Marketing, E-mail Marketing, Links Patrocinados, Display Media, Remarketing, Facebook (e Instagram) Ads, Twitter e LinkedIn Ads, Programmatic… São apenas algumas das possibilidades, além do básico que seria a Gestão de Mídias Sociais e o Relacionamento com os Clientes.

Estas estratégias, quando combinadas e executadas com planejamento, podem criar todo um ecossistema que permita o conhecimento e divulgação da marca e seus produtos e serviços; a captação de prospects para a equipe de vendas; a promoção de produtos e serviços a consumidores realmente interessados; um melhor relacionamento com essa base de clientes e até mesmo a possibilidade de uma abordagem de veiculação de mídia mais universal, através de múltiplas plataformas e técnicas de remarketing e publicidade direcionada. Claro que todo este esforço não sai de graça, mas ainda sai bem mais em conta do que o que cobram os veículos tradicionais, que não permitem ainda correta mensuração e acompanhamento.

Evidente que a atuação no digital, de forma planejada, implica em um trabalho profissional e em um domínio de conhecimento técnico que ainda não é ponto comum a todos os players tradicionais da publicidade. E até mesmo a muitos profissionais e empresas que hoje oferecem de forma equivocada serviços de marketing e publicidade digitais.

Portanto, a dica valiosa em tempos de crise é que redirecionar uma maior porcentagem de investimentos em mídia para campanhas de marketing digital pode dar um fôlego aos negócios e à visibilidade das empresas, com possibilidades de um maior retorno proporcional ao investimento. Mas é de fundamental importância que as empresas busquem agentes que dominem de forma eficiente as plataformas e possibilidades deste meio a fim de obter melhores resultados.

Afinal, pagar menos, mas por uma entrega ineficiente, principalmente em um momento como o atual, está longe de ser barato.


Fonte: Artigos Administradores / Em tempos de crise, o Marketing Digital como saída

Os comentários estão fechados.