Em transformação: os mesmos olhos com um novo olhar

Em transformação: os mesmos olhos com um novo olhar

De vez em quando é importante parar e repensar a vida, os projetos, os sonhos, o olhar. E analisar se não é necessário mudar, inverter a rota, dar um passo atrás para dar dois adiante, corrigir o percurso, decolar, pousar, agitar.

Cada pessoa é um agente de transformação e em transformação. Vivemos em obras, em construção, em reparo e aperfeiçoamento. Às vezes vamos com a corrente, deixando fluir e acontecer naturalmente e em outros momentos, retardamos o processo e remamos contra a maré.

Mas, a natureza humana é de mudança, também de liberdade e com capacidade de adaptação. Uns mais flexíveis, outros nem tanto. Todos mudamos, ou porque queremos, ou porque envelhecemos e amadurecemos, ou porque as circunstâncias em nosso entorno mudaram, mesmo que não tivéssemos optado por isso.

A mudança que eu mais gosto é aquela que nós escolhemos e buscamos para o nosso próprio crescimento, desenvolvimento e evolução. Acredito que estamos aqui para ter novas experiências, histórias, para conhecer pessoas, para nos conhecermos melhor, para interagir com o outro e para evoluir de todas as maneiras possíveis.

De vez em quando é importante parar e repensar a vida, os projetos, os sonhos, o olhar. E analisar se não é necessário mudar, inverter a rota, dar um passo atrás para dar dois adiante, corrigir o percurso, decolar, pousar, agitar. É importante estar no controle e se sentir responsável pelos acontecimentos e decisões. Quando deixamos os outros controlarem o nosso rumo, ou o acaso, ou a sorte, estamos entregando o leme, a direção para outra pessoa que não vai conduzir as coisas como gostaríamos ou esperávamos.

“Estar em estado de graça é estar no caminho certo. Estar infeliz é estar errado. A peregrinação do rebelde está repleta de surpresas. Ele não tem mapa nem guia, assim, a cada momento está entrando em um novo espaço, em uma nova experiência – em direção a sua própria experiência, à sua própria verdade, ao seu próprio êxtase, ao seu próprio amor.” Osho

Isso serve para tudo, vida pessoal, amorosa e para carreira também. Ninguém além de você mesmo pode fazer a gestão de sua própria carreira. Um balanço do que atingiu e do que ainda quer. Os passos que precisam ser dados para isso, às mudanças que precisam ser feitas, os riscos que precisará correr. Levantar, sacudir a poeira, sentir frio na barriga, correr atrás de novos desafios, reciclar e agitar. Se der medo de sair da zona de conforto, vá com medo mesmo.

Os mesmos olhos com outro olhar. Com olhar novo ou diferente. O olhar inocente e puro de um bebê. O olhar sapeca de uma criança. O olhar confiante de um adolescente. O olhar brilhante de um apaixonado. O olhar motivado de um jovem aprendiz. O olhar seguro de um pai. Todos estes olhares fazem parte de nós, mas precisamos parar para perceber, nos permitir limpar os óculos e enxergar diferente, sob outra ótica. Este olhar diferente e novo não se encaixa no piloto automático, não é automatizado nem robótico e não está presente na zona de conforto. Ele surge quando meditamos, quando aceitamos novos desafios, quando nos abrimos para mudanças, para o novo, o incerto, o inseguro, o desafiador.

“O rebelde assemelha-se a um pássaro voando no céu; que caminho ele segue? Não existem estradas no céu, não existem pegadas de pássaros ancestrais, de pássaros notáveis, Gautamas Budas. Nenhum pássaro deixa qualquer pegada no céu; portanto o céu está sempre aberto. Você voa, e faz o seu caminho. Encontre a direção que lhe dê alegria. Mova-se para a estrela que toque sinos em seu coração. Você deve ser o fator decisivo, ninguém mais!” Osho


Fonte: Artigos Administradores / Em transformação: os mesmos olhos com um novo olhar

Os comentários estão fechados.