Empreendedorismo e propósito de vida

Empreendedorismo e propósito de vida

Há histórias incríveis sobre empreendedorismo. Embora o sucesso venha estampado em capas de revista, há aqueles que fracassaram miseravelmente. Há pessoas que arriscam tudo para montar um negócio, aquelas que empreendem por pura necessidade, outras que possuem um sonho e a ser realizado e, ainda, aquelas que empreendem por vocação e por não se verem fazendo outra coisa

Imagine um ferreiro trabalhando. Ele aquece um naco de ferro até que fique incandescente para, logo em seguida, moldá-lo com violentos golpes de martelo. Aquele objeto de metal, que vemos aos poucos tomar forma, é transportado do forno para a bigorna inúmeras vezes, recebendo incansáveis golpes. Esse processo repete-se exaustivamente, até que aquela porção amorfa de matéria se transforme em algo útil.

Podemos dizer que o empreendedor é aquele objeto incandescente que, quando não está no forno, recebe duros golpes, até que um dia seja capaz de assumir com dignidade a sua principal tarefa: gerir decentemente o seu empreendimento.

As vidas através do empreendedorismo

Há histórias incríveis sobre empreendedorismo. Embora o sucesso venha estampado em capas de revista, há aqueles que fracassaram miseravelmente. Há pessoas que arriscam tudo para montar um negócio, aquelas que empreendem por pura necessidade, outras que possuem um sonho e a ser realizado e, ainda, aquelas que empreendem por vocação e por não se verem fazendo outra coisa.

Exceto por alguns casos, ninguém é naturalmente forjado para o empreendedorismo. Tornar-se um empreendedor é um processo que pode levar anos e muitas experiências traumáticas. Um empresário bem sucedido pode ter em sua biografia falências, ex-sócios inconformados, relacionamentos desfeitos, isolamento e muitas noites mal dormidas.

Para os amadores, a vida vai se encarregar de ensinar como gerir decentemente um negócio. Erros, fracassos, desafios e pressões forjam o espírito do empreendedor, tornando-o mais forte, consciente dos seus limites e realista a respeito da sua atividade.

O que é empreendedorismo?

Empreender diz respeito à capacidade que alguém tem de criar sistemas produtivos que, em troca de lucro, entreguem valor para a sociedade. Uma empresa é um sistema, ou seja, é a conjunção de diversas partes que se articulam para alcançar um determinado fim. Lucro é a remuneração dos sócios, que arriscaram a sua credibilidade, o seu tempo e suas finanças para levantar do zero um empreendimento.Valor é a contraprestação oferecida ao mercado, que se resume em entregar uma melhoria de vida através de conforto, segurança, proteção, diversão, prazer, rapidez, economia de dinheiro etc.

Observe que a atividade de tornar uma empresa sustentável – que seja perene e lucrativa – deve se integrar na vida do empreendedor. É uma arte harmonizar a criação e administração de uma negócio com a vida conjugal e familiar, saúde, lazer, estudos, convivência social, finanças e espiritualidade. Desenvolver um ritmo equilibrado é fundamental para a constância e, também, para evitar que problemas previsíveis impeçam-no de continuar produtivo.

Assim, empreender não é apenas sobre montar um negócio, mas sobre como integrar esse projeto na própria vida.

Empreendedorismo e personalidade

Uma empresa sempre será um reflexo da personalidade dos seus donos. Leia a frase anterior novamente!

Personalidade é o conjunto de valores, aspirações, desejos, ideais, interesses e sentimentos que marcam o modo de pensar e agir de uma pessoa. Em cada indivíduo, a articulação desses elementos demonstram o seu modo particular e único de atuar no mundo.

Desta forma, ao criar uma empresa, o proprietário imprime na coisa criada todos os elementos da sua personalidade. Algumas de suas características se evidenciam na cultura organizacional, relacionamento entre os colaboradores, qualidade do atendimento e relacionamento com o cliente, decisões estratégicas, alocação de recursos, marketing, gestão financeira, parcerias, criação de produtos e serviços, eficiência e tudo o mais que possa constituir a atividade da empresa.

Cabe ao empreendedor reconhecer quais das suas características fortalecem o empreendimento, bem como aquelas que enfraquecem a sua empreitada. Neste aspecto, autoconhecimento é fundamental – e humildade também. O empreendedor é responsável por identificar as suas faltas e corrigi-las, seja desenvolvendo novas habilidades, seja buscando ajuda especializada.

Se observarmos empresas marcantes, veremos que isso se confirma. Ao olhar para os produtos da Apple, percebemos os traços de personalidade do Steve Jobs, um sujeito que prezava pela excelência, design, simplicidade e beleza. A criatura é um espelho do criador.

Assim, o empreendedor deve se conscientizar sobre quais são os seus valores e aspirações mais altos. São eles que darão vida ao empreendimento. Aliás, ser autêntico e genuíno é fundamental para que o seu negócio pareça confiável aos olhos do cliente. Sinceridade e transparência consigo mesmo é o primeiro passo.

Olhando para o Real

O real é o território em que o empresário está pisando e no qual inseriu a sua empresa. Por território pode-se entender: clientes, concorrência, tributação e a legislação que regula o setor.

Há uma frase atribuída a Henry Ford que diz o seguinte:

Se eu tivesse ouvido os usuários, ao invés do automóvel eu teria inventado uma carroça mais rápida.

Ford foi um sujeito genial e arrojado. Numa época em que automóveis eram exclusivos de pessoas ricas, ele enfrentou o cartel da indústria automotiva, construindo um veículo acessível aos trabalhadores.

Steve Jobs dizia que:

As pessoas não sabem o que querem, até mostrarmos a elas.

Embora alguns gênios se arrisquem, é temeroso esperar que um produto crie a demanda. Um erro comum – que já quebrou inúmeras empresas – é o gasto de grande soma de recursos para desenvolver um produto ou serviço inovadores, mas sem fundamento nas necessidades do público-alvo. Daí a importância de conhecer o seu cliente e as suas necessidades, a fim de oferecer um produto ou serviço que torne sua vida melhor. A coisa mais importante não é o que você está vendendo, mas as necessidades que os clientes esperam que sejam atendidas.

A concorrência pode ser uma barreira para a entrada de novos negócios no mercado. Às vezes, as necessidades que uma empresa pretende assumir já são atendidas por outros agentes e, pior, com preços competitivos. Nesses casos, inovar é fundamental. Você pode se diferenciar oferecendo uma solução que seja mais barata, mais cômoda ou mais eficiente. Pode, por outro lado, buscar seguimentos do mercado que não estão sendo atendidos e encontrar oportunidades ainda melhores. Mas, acima de tudo, fique de olho nas necessidades do seu cliente.

A maioria dos empreendedores não gosta de acompanhar a gestão financeira. Detestam planilhas, relatórios e administrar contas. Conversando com meu contador, fiquei estarrecido por saber que muitas empresas sequer tem um registro de gastos e recebimentos, mesmo que precário. Isso leva à incidência desnecessária de multas, pagamento indevido de impostos, má administração de dívidas e a impossibilidade de planejamento para crescimento e consolidação. Impostos podem matar uma empresa. Por isso a necessidade do suporte de um especialista e de uma equipe bem treinada.

O mesmo vale para a legislação que regula o seu setor, cada caso é um caso. E todos devem obedecer as normas de defesa do consumidor.

Olhar para o real é saber onde está pisando e reconhecer o cenário em que a sua empresa atua. Não dá para ignorar!

Empreendedorismo e propósito de vida

Ter um propósito é seguir o que faz sentido para a sua vida. Viver com propósito é seguir seus valores mais nobres, realizar as suas aspirações mais altas e deixar um legado para as gerações vindouras.

Se você decidiu pelo empreendedorismo, resta saber como essa atividade contribui para a realização do seu propósito de vida.

Não se trata apenas de fazer dinheiro. Observe que você tem um tempo limitado de vida. Não deve, portanto, emprega-lo em atividades que o afastem da sua essência. Enriquecer é bom, e se houver um sentido nobre na sua atividade, tanto melhor!


Fonte: Artigos Administradores / Empreendedorismo e propósito de vida

Os comentários estão fechados.