Encontre-se no caos

Encontre-se no caos

Toda crise traz uma oportunidade que somente está disponível para quem se prepara

No início da segunda quinzena de novembro, um cliente me dizia sobre como se sentia impotente diante de tantos acontecimentos.

Da barragem da mineradora que se rompeu aos atentados em Paris, passando pelo inexplicável desastre aéreo com os executivos do Bradesco, os fatos chegam a número, gravidade e complexidade crescentes. É muito difícil intervir nesses eventos, e é ainda mais desgastante manter-se atualizado diante do fluxo caótico de notícias.

Isso tudo cria muita confusão, incerteza e desconhecimento. Afinal, há duas formas de manter as pessoas ignorantes: escondendo conhecimento e informação, ou inundando-as com ambos. O que é abundante possui seu valor depreciado.

Na raiz disso, está o desinteresse pela complexidade e a crença de que tudo tem uma explicação simples. Entretanto, o fato de você compreender uma explicação não significa que ela seja correta. Por essa razão, tão importante quanto estar atento ao que vai pelo mundo, é fazer uma curadoria sobre o conhecimento relevante.

Nesse sentido, entendo que o primeiro ponto é o indivíduo ser capaz de ler em inglês. Considero improvável que um profissional fique atualizado somente com cursos e publicações disponíveis em português. Embora eu tenha um profundo interesse em trazer para o executivo o que há de mais avançado em termos de liderança no mundo, se o gestor não ler o que sai neste momento em inglês, dificilmente se manterá atualizado. Isso ocorre em outras áreas também. Portanto, faça o que for necessário para ser capaz de ler nesse idioma.

Toda crise traz uma oportunidade que somente está disponível para quem se prepara. Embora a crise no Brasil seja provocada pela incompetência e desonestidade do atual partido no governo, há outra com que se preocupar. Está em formação uma crise financeira e geopolítica que deverá eclodir nos próximos anos. O dólar como reserva de valor deverá passar por uma fase de valorização, seguida de uma desvalorização abissal. As próximas crises poderão ser detonadas pelo estouro de bolhas financeiras gigantescas, como as dívidas dos países.

Entretanto, infelizmente, a proporção de pessoas que vão se beneficiar dela é a mesma entre aquelas que se interessam por blogs de finanças e as que só veem vlogs de moda: 1 para 1.000. Sugiro você começar, desde já, a ler sobre os primeiros – em inglês, é claro.

Por último, é importante você estar atento aos ciclos que ocorrem na economia e em outras áreas, em todo o mundo. O ciclo das commodities, que tanto afeta o Brasil; o geopolítico, que está ingressando em um momento crítico; o financeiro, que deverá passar por uma fase muito difícil na segunda metade da década, entre outros. Todos eles afetam sua vida, e alguns são oportunidades extraordinárias. Mas você precisa estar preparado.

Procure selecionar apropriadamente as ideias que você segue. Sugestão: ideias coletivistas não funcionaram em nenhum lugar do planeta, fuja delas. Antes de querer interferir e auxiliar em eventos complexos que ocorrem no Brasil e no mundo, procure aculturar-se, certificar-se da melhor forma de contribuir, para só, então, agir.

O mundo precisa menos de opinião e de críticas desnecessárias e desesperadamente de mais pessoas que contribuam de maneira consciente com ele. Seja uma delas!

Vamos em frente!

P.S. Dedico este artigo a Richard Russel, que desde 1956 interpretou de maneira brilhante os mercados. Primeiro, em publicações de papel e depois em seu blog: dowtheorylettters.com. Suas palavras sempre me ajudaram muito a compreender o mundo. Ele faleceu no dia 21/11, aos 91 anos, e orientou seus leitores até os últimos dias de vida. Que tenha um merecido descanso.


Fonte: Artigos Administradores / Encontre-se no caos

Os comentários estão fechados.