Estratégias comportamentais com base na Metavisão 4D

Estratégias comportamentais com base na Metavisão 4D

Não sabe o que é isso? Entenda mais sobre o assunto lendo o artigo abaixo

O estudo do comportamento humano tem sido realizado há séculos e com o desenvolvimento das pessoas e das tecnologias que atrelam a relação entre ambos, novas perspectivas emergem para a compreensão da natureza humana.

Desde a pré-história, os seres humanos já treinavam suas habilidades e competências.  A caça e a pesca, um dos marcos expressivos da primeira Era do Desenvolvimento Humano, eram aprendidas e repassadas aos mais novos e se desenvolviam como forma de manter a sobrevivência. A partir da Era da Revolução Industrial, década de setenta, desenvolver o comportamento de pessoas transformou-se em um meio de adaptação dos operários para a utilização de máquinas para a produção em massa, pois o anseio pela evolução passa a ser necessário para o desenvolvimento de tarefas mais especializadas. Nesta época os treinamentos coletivos eram mais específicos em áreas técnicas.

Desde o advento do Capital Intelectual, os treinamentos em áreas de atuação, chamados também de comportamentais, e o desenvolvimento individual, notoriamente, são os que mais capacitam o ser humano. Há décadas, as empresas brasileiras e os seres humanos, as vezes por iniciativa individual, tem reconhecido cada vez mais a importância de desenvolvimento comportamental como forma de melhorar seu desempenho e talento.

Entendo, após quase 30 anos, estudando, trabalhando, experimentando e pesquisando, que a relevante área de desenvolvimento de pessoas tem um papel crucial, pela própria evolução natural que o ser humano está inserido, mas não posso de forma alguma, deixar de ressaltar que muitos investimentos não se traduzam em resultados sustentáveis.

Acompanhando milhares de pessoas envolvidas neste processo, aprendendo ou transferindo conhecimentos, pude perceber um “Gap” entre a necessidade de aprender e o real resultado almejado, proveniente das ações observadas nas novas atitudes no dia a dia das pessoas. Muito provavelmente inserir novas informações e conscientização, mesmo sabendo que sejam significativas, tendem a proporcionar no inicio um certo desconforto, geralmente, remetendo aos antigos comportamentos, mesmo sabendo que estes não produzem resultados significativos. Mas porque as ações de treinar e desenvolver pessoas individualmente ou coletivamente podem ser inoperantes, ou seja, produzem resultados aquém dos esperados?    

É fato que tudo na vida é cíclico e o ser humano, inserido neste ciclo passa por diversas fases em sua vida, e todas as experiências que vamos adquirindo no decorrer do tempo formam nosso modelo cultural. Estas experiências aliadas novos aprendizados, vão formando o caráter e as convicções de cada indivíduo. Na área de treinamento e desenvolvimento não é diferente, pois desde a década de sessenta muitos dos programas existentes no mercado surtiram resultados adequados, porém a pergunta neste momento atual é a seguinte: “Levando em consideração as grandes transformações humanas e tecnológicas, conteúdos e metodologias passadas pode assegurar resultados sustentáveis no presente e futuro?

Pontualmente baseado nestes posicionamentos, e para atender a este significativo questionamento, nos últimos anos pude compreender e mergulhar mais a fundo em alguns aspectos científicos que compreende o desenvolvimento humano. Me dediquei a uma visão estrutural que está envolta a este contexto. Após centenas de atendimentos, oriundos de Programas de atendimentos individuais e coletivos, utilizando como recurso o “supra sumo” dos conteúdos extraídos de todas as importantes vertentes de dezenas de treinamentos e programas de desenvolvimentos nacionais e internacionais, consegui evidenciar resultados surpreendentes. A este conjunto de recursos atualizados dentro da “Era Atual do Desenvolvimento Humano” que vivemos foi rotulado de metodologia MetaVisão 4D.


Fonte: Artigos Administradores / Estratégias comportamentais com base na Metavisão 4D

Os comentários estão fechados.