Evite cair na malha fina do DCTF

Evite cair na malha fina do DCTF

Está mais que na hora das companhias entenderem a importância de manter um acompanhamento minucioso de seus débitos a declarar, bem como de sua situação fiscal

As retificações de obrigações acessórias estão se tornando uma dor de cabeça para as empresas. O cruzamento das informações está sendo mais e mais acelerado pela Receita Federal. Por tanto, os impactos de eventuais inconsistências não demoram a ser sentidos no caixa da empresa.

“Há casos de empresas que retificam a Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF) inúmeras vezes, contando com a demora nos cruzamentos por parte da Receita. Agora, o processamento é quase diário e não substitui automaticamente a informação do DCTF original”, explica Daniela Lopes Marcellino, sócia da De Biasi Consultoria Tributária.

E mais: o processamento de retificação acende um sinal vermelho na Receita. “Quando a empresa reduz o débito declarado, por exemplo, ela aumenta a probabilidade de cair na malha”, alerta Daniela. “As empresas não podem mais encarar as retificações como um procedimento isento de implicações, nem usá-las para postergar suas obrigações perante o Fisco, contando com a demora do sistema de cruzamentos”, garante.

Está mais que na hora das companhias entenderem a importância de manter um acompanhamento minucioso de seus débitos a declarar, bem como de sua situação fiscal. Não basta contar só com sistemas informatizados.

“A segurança fiscal vem de um monitoramento permanente, da revisão preventiva da apuração dos tributos e da regularização de possíveis pendências”, assegura a sócia da De Biasi Consultoria Tributária. “O custo de se correr riscos fica cada dia mais alto”, acrescenta. Segundo ela, antes de retificar a DCTF é necessário analisar o motivo.


Fonte: Notícias Administradores / Evite cair na malha fina do DCTF

Os comentários estão fechados.