Família a organização mais importante das nossas vidas

Família a organização mais importante das nossas vidas

Três perguntas básicas para resgatar a harmonia

A maioria dos líderes que eu conheço tem vários trabalhos, e muitas vezes eles só são pagos por fazerem um deles. Por exemplo, eu sou um líder de uma empresa, mas eu tenho papéis de liderança na minha igreja e nas equipes dos meus sobrinhos, e, claro, na minha família. No entanto, quando eu penso sobre todas essas funções e os círculos que são impactados por elas, eu não posso deixar de concluir que a minha família têm recebido pouca atenção quando se trata de meu tempo de liderança e energia.

Afinal de contas, eu passei horas e dias e semanas pensando e lendo sobre a melhor forma de executar as minhas funções na empresa. Eu já trabalhei em conjunto com minha equipe para identificarmos os nossos valores fundamentais e para esclarecermos a nossa estratégia. E estamos trabalhado para garantir que esses valores e estratégias tenham sido implementadas de forma consistente ao longo do tempo para que a nossa empresa consiga maximizar o seu potencial.

Passo regularmente muito tempo estudando em casa, e em várias ocasiões já assisti aulas no final de semana para me tornar um profissional melhor. Eu mesmo li uma pilha de livros sobre gestão estratégica, liderança para obter uma vantagem adicional nesse mundo cada vez mais competitivo.

E depois há a minha família, a organização mais importante na minha vida. Quantos livros li sobre o funcionamento de uma família eficaz? Zero. Quantas aulas de gestão familiar assisti? Nenhuma. E quantos off-sites as mulheres que cruzaram a minha vida e eu participamos para melhorar a nossa forma de organizar e dirigir os nossos relacionamentos? Você sabe a resposta.

Tão comum conviver com estas negativas é para muitos chefes de família que também trabalham no mundo “real”, ele simplesmente não fazem qualquer sentido. Quando deixamos de sermos pró-ativos sobre a nossa forma de planejar e executar as nossas vidas em casa, em nossas famílias e nos tornamos reativos, insatisfeitos e frenéticos. E embora nós não pudemos ver, uma ligação direta em curto prazo entre esta e as dificuldades como o divórcio e estresse na infância, é difícil negar tal ligação. Frustração e desilusão entre os pais e filhos, mesmo quando ela for menor, não pode deixar de ter um impacto sobre os membros da família.

Então, o que uma família tem que fazer? Alguma coisa. Qualquer coisa é melhor do que sentar e reagindo ao próximo pedido sem qualquer contexto. E essa palavra contexto é fundamental. É o que está faltando na maioria das organizações especialmente as famílias.

O contexto fornece aos líderes um enquadramento e uma perspectiva de que eles precisam para que cada oportunidade que venha a surgir não crie um dilema estressante. No mundo dos negócios, um líder toma a decisão de adquirir uma empresa ou buscar um cliente ou contratar um candidato a um emprego, muitas vezes podem cair em um conjunto claro de valores, prioridades e objetivos estratégicos que lhe permitiriam tomar consistentemente boas decisões e reter uma medida de sanidade no processo.

O mesma verdade encontraremos em casa. Sem contexto claro, nossas vidas se tornam reacionários e estressante e muitas vezes um ato orientado ao encontro da culpa da sobrevivência diária, em vez de uma experiência alegre, intencional que ela está destinado a ser. Se não há nada claro cada decisão irá criar ansiedade desnecessária, para não mencionar meses ou anos de potencial arrependimento.

Então, o que exatamente podem fazer as famílias para obter algum alívio? 

Precisamos estabelecer três perguntas básicas que, se respondidas conjuntamente pelo casal, auxiliariam na contextualização dos problemas familiares e em uma abordagem mais sadia em meio ao frenesi e ao caos da vida moderna.

  1. O que faz sua família ser diferente de todas as outras?
  2. Qual a maior prioridade de sua família nesse momento?
  3. De que forma você vai conversar e usar as respostas a essas perguntas? 

As respostas precisam criar um senso de contexto, respondendo  a estas perguntas simples, e então usando essas respostas para orientar suas decisões. As questões têm a ver com os valores centrais, as prioridades estratégicas de uma família e metas de curto prazo. E uma vez que essas respostas são definidas, a família precisa mantê-las vivas e usá-las em uma base diária, semanal e mensal. É claro, é a chave para manter o seu dia-a-dia simples e prático, e evitar abordagens excessivamente estruturados ou burocráticas, porque as famílias têm ainda menos tempo e tolerância para com a burocracia e protocolo que as empresas fazem.

Espero que com o clima de Natal no ar que este pequeno artigo simples possa ajudar a você e sua família a se tornarem um pouco menos frenéticas e muito mais pacíficas.


Fonte: Artigos Administradores / Família a organização mais importante das nossas vidas

Os comentários estão fechados.