Faz o que ama ou ama o que faz?

Faz o que ama ou ama o que faz?

Já dizia Confúcio: Escolha um trabalho que você ame e não terás que trabalhar um único dia em sua vida. Há tanta verdade nessa frase, porque muitas vezes a maioria pinta trabalho como algo ruim, pesado, apenas cansativo, mas há tanto valor nessa palavra que não é enaltecido, com o trabalho nos acostumamos e aprendemos a conviver com a diversidade, a lidar com conflitos, aprendemos sobre disciplina, sobre buscar melhorias, com ele você consegue o sustento que dará uma qualidade de vida para sua família, o leite dos seus filhos, a universidade que tanto quis fazer, e tantos outros motivos que poderia passar o dia listando.

Sugiro que você sempre faça a seguinte reflexão: como você enxerga o seu trabalho, está feliz ou toda vez que levanta é um martírio? Se você acordar e não ver sentido para ir ao trabalho, seja ele até mesmo em casa, pode ter certeza: tem algo errado, e tudo que incomoda vai para algum lugar, é um estresse que te leva a farmácia, é uma frustração que te leva a depressão, dores no estômago, ansiedade, inflamação na garganta, quem já não viveu isso quando estava fazendo algo que não lhe satisfazia?

Muitas vezes na vida precisamos por um tempo fazer até mesmo o que não gostamos para conseguir fazer o que gostamos, mas isso deve ser colocado no papel, quanto tempo você precisará para angariar os recursos para realizar o que gosta? Quantas pessoas se perguntarmos o que ela queria ser quando criança vamos encontrar realmente sendo o que sonhavam? Pouquíssimas, mas se perguntarmos se você hoje não precisasse de dinheiro e pudesse fazer o que gosta o que estaria realmente fazendo? Certamente estaria sendo o que gostaria desde a infância.

Muitas pessoas abandonaram seus sonhos, vocação, pelas necessidades que surgiram, e hoje possuem aquela sensação que está faltando algo, ou a senhora coragem batendo na consciência e dizendo vai se arrisque, não se acomode, corra atrás do que lhe faz bem. E eu diria com experiência de causa que é assim mesmo, temos que nos arriscar, lutar, tirar o medo e trabalharmos no que realmente nos dignifica, no que brilha nossos olhos, no que nos da ânimo e sentido de acordar e ir contribuir com tudo aquilo… Fácil fazer isso? Não, apenas trabalhoso, mas extremamente gratificante.

E para isso não há tempo, quantos atores já não despontaram ou se descobriram depois dos 40? Músicos, empresários, histórias de pessoas que depois dos 50 começaram a fazer faculdade para trabalharem naquilo que sempre gostaram… Exemplos não faltam, prova de que não há tempo para ser feliz, e é possível ser feliz com e no trabalho. Trabalhar precisa ser um exercício de utilidade, utilidade pública, utilidade pessoal, ele precisa ser uma fonte de energia e renda para as realizações dos sonhos, da prosperidade da sua família, se você não sentir valor nele mude, se arrisque, não se deixe ser ameaçado pela vida, nem por nenhum patrão/gestor medíocre, faça sentido naquilo que leva a maior parte do seu tempo e vida.

Lembre-se que a maioria das pessoas consideradas bem sucedidas são aquelas que estão fazendo o que gostam, tiveram a coragem de assumir seus ideias, gostos e sonhos, e persistiram muito, pois não é uma licença poética é um exercício de muita vontade, determinação, e coragem.

Já pensou passar 8 ou 6 horas diárias fazendo o que não gosta, estando num ambiente que não lhe move? E muitas vezes isso acontece em nossas vidas, não permita gastar o dom mais precioso que temos que é a vida com algo que não nos dignifica ou brilha nossos olhos, crie valor no que faz, crie sentido, e se não fizer sentido mude a rota, siga novos caminhos, faça de outras formas, sempre haverá uma forma melhor de se sentir melhor.


Fonte: Artigos Administradores / Faz o que ama ou ama o que faz?

Os comentários estão fechados.