Feedback nos olhos dos outros é refresco.

Feedback nos olhos dos outros é refresco.

Enquanto o feedback é usualmente utilizado em situações que já aconteceram, o feedforward foca na melhoria de desempenho por orientação antes de uma atividade ou evento.

Feedback é uma palavra inglesa que significa realimentar ou dar resposta a uma determinado pedido ou acontecimento. Quando alguém ouve “Preciso te dar um feedback…” já vem um sentimento ruim e passa logo na cabeça “o que fiz de errado?”. Esse conceito era comum no meio empresarial, mas migrou para as famílias, escolas e relações sociais.

Analisando que o objetivo do feedback é aumentar o desempenho de alguém, a pessoa que é responsável por dar “a resposta” deve ser capacitada e com bagagem no assunto, respaldada por fatos concretos e mensuráveis dos resultados de quem vai receber “a resposta”. Só esse ponto já deixa o conceito de feedback fragilizado, pois se o responsável por dar o feedback não for um líder reconhecido, seja pela capacidade ou empatia, qualquer resposta vai ser encarada como algo negativo (crítica) ou sem base verídica.

Outro ponto importante é o momento em que acontece o feedback, na maioria da vezes após uma atividade, reunião, prova, etc. Com base no objetivo que falamos anteriormente, está correto o momento do feedback? Acredito que não, pois se o objetivo é aumentar o desempenho do receptor o mais apropriado seria orientar a pessoa antes do evento. (Considerando se a pessoa for capaz realmente de orientar alguém, orientar não são desejos ou vontades)

Partindo dos pontos citados encontramos outra ferramenta de gestão que é o “Feedforward”. Ela é a evolução do feedback e da avaliação do desempenho geral e não só individual. Os pilares de ações são o presente, o futuro e a positividade, focados em maximizar potencialidades. Enquanto o feedback é usualmente utilizado em situações que já aconteceram, o feedforward foca na melhoria de desempenho por orientação antes de uma atividade ou evento.

A base das orientações foca em auxiliar o afloramento do potencial e fortalezas das pessoas, pois se percebermos as qualidades podemos incentivar e até mesmo direcionar aquela pessoa para algo que ela já domina, mas pode se tornar melhor com o estímulo.

O resultado do feedforward é quase imediato, pois tira o fator “Crítica” da conversa, focando no futuro. A pessoa vai muito mais receptiva para algo que não avalia o que já passou e sim orienta para o futuro. Outra vantagem é a capacidade de minimizar o despreparo do dito líder, pois mesmo que ele não consiga uma orientação rica baseada nas capacidades do receptor o mesmo pode simplesmente falar o que espera e assim melhorar o clima daquele ambiente.

Não estou falando em jogar fora o conceito de feedback, mas acredito que sua produtividade é maior quando é solicitado pela pessoa que executou a atividade mostrando assim seu interesse no desenvolvimento pessoal.

Se olharmos para os resultados e melhoria geral do desempenho, passaríamos a utilizar o feedforward de forma sistemática nas empresas, escolas, família e amigos. Para agregarmos realmente para alguém e para nossas instituições devemos compartilhar nosso conhecimento ou reflexão antes das coisas acontecerem e se possível direcioná-las para uma situação melhor.


Fonte: Artigos Administradores / Feedback nos olhos dos outros é refresco.

Os comentários estão fechados.