Gastar ou não gastar, eis a questão!

Gastar ou não gastar, eis a questão!

Como muitos meios de comunicação constantemente publicam, há uma grande dificuldade para as pessoas gerirem suas finanças pessoais de forma saudável. Ter uma situação financeira tranquila não é uma questão de quantia, ou melhor, de um alto salário.

Muitas pessoas possuem altos salários e mesmo assim não possuem uma vida financeira saudável. A gestão do dinheiro é deixado de lado, principalmente, quando se trata em gastá-lo com artigos que, para a sociedade, “trazem mais status”.

Sair de dívidas, não contraí-las, conseguir comprar objetos de desejo, investir, são ações que dependem diretamente da gestão financeira. Uma gestão pode ser simples, prática e prazerosa, mas, não quer dizer que não terá algum trabalho por trás.

Na verdade quanto maior for a disciplina com o seu dinheiro, melhor e mais eficaz será a gestão. Finanças pessoais não é algo de outro mundo, não é física quântica, ou seja, não é complicado, é somente trabalhoso, por ter que planejar suas ações com o dinheiro, e requer um tempo, ou no português claro, requer que você “sente a bunda na cadeira” e trabalhe.

Imagine uma estrutura onde você qualifica a situação em que está passando, ou seja, coloca face a face seus gastos com suas receitas, após equaliza tudo, ou seja, traz pra suas finanças o equilíbrio econômico, e após isso, começa por uma fase de prosperidade, onde você terá um capital contínuo.

É um resumo do processo que todos deveriam passar, um método eficaz que traz resultados, mas, que requer esforços.

Mas, além de todo trabalho financeiro, é crucial tomar cuidado com as peças que sua mente pode te “pregar”. Coloco abaixo os três principais riscos que sua mente faz você passar.

Primeiro deles é o “Eu mereço isso”. É impressionante como isso é eficaz de forma negativa para o seu bolso. Obviamente que todos merecem recompensas pelo trabalho duro do dia a dia, mas, pare para analisar que isso acontece mais do que o necessário, e em 101% dos casos, você acaba cedendo.

O outro é “Só um, depois eu paro…”. Seja para o que for, é o início de uma grande ladeira, porque você sabe que não vai parar no primeiro. Isso requer muito auto controle, e muita maturidade emocional. É difícil, mas, com o tempo e sempre analisando a situação e tendo por trás sua gestão financeira, fica mais simples entender e passar por essas situações.

O terceiro e não menos importante é “Eu não posso me desfazer disso, porque…”. Bom, este é “tiro e queda”, é realmente difícil se desfazer de algo que você entende como importante, mesmo se estiver passando por uma situação de aperto financeiro. É uma grande pegadinha da sua mente, porque, se você parar 2 minutos para pensar, o que é realmente importante que você não pode se desfazer? Claro, que isso é relativo a bens materiais.

Entende como uma gestão bem feita pode clarear todas as situações?! É algo realmente importante a ser feito, ainda mais nas condições atuais que o Brasil está passando, politica e economicamente.

Pequenos passos levam a grandes vitórias.

Trabalho e dedicação, e com o tempo você vai melhorando sua gestão financeira, aumentando sua educação financeira e tranquilizando seu bolso.

 

AP.

 

Augusto Parazzi.


Fonte: Artigos Administradores / Gastar ou não gastar, eis a questão!

Os comentários estão fechados.