Heineken usou atores. Mas foi fail? Claro que não!

Heineken usou atores. Mas foi fail? Claro que não!

É importante que a publicidade não seja vista somente do ponto de vista mercadológico. Sua importância social, cultural e simbólica também deve ser considerada

Aaaaah, descobriram que a cervejaria Heineken utilizou alguns atores e atrizes para executar uma ação viral sobre a final da Liga dos Campeões da Europa em Milão na Itália. Denominado “The Cliché”, o vídeo comandado pela agência brasileira Publicis, nos apresenta uma história onde três rapazes tentam convencer suas mulheres a terem um final de semana num spa, enquanto os três iriam a uma festa promovida pela Heineken no Allianz Parque, durante a partida final. Inesperadamente, as meninas, ao aceitarem a proposta, foram levadas pela Heineken para assistir a decisão no palco do jogo.

Os pobres rapazes só ficaram sabendo disso no telão do estádio do Palmeiras, quando elas mostram que o tal “spa” é o placo da grande final, o Estádio San Siro. No entanto, a Máquina do Esporte revelou que a incrível história teve a participação de atores, pois dos três casais retratados, dois deles são pessoas que participaram de diversas outras campanhas publicitárias. Por meio de um e-mail, a cervejaria Heineken confirmou que foi pago cachê aos homens que participaram do vídeo viral, mas negou que eles três tenham sido chamados para seguir um roteiro previamente combinado.

Enfim, nas discussões de grupos de Whatssapp, no Facebook, nos e-mails e nas salas de aula, já temos uma boa pauta para discussão. Ação equivocada da Heineken ou algo absolutamente acertado? Oras, ao meu ver, nota 10 pros caras. O processo de desenvolvimento de uma ação publicitária se apropria de elementos culturais (nesse caso, o futebol), viabiliza a identificação e o entendimento por parte do público com relação ao objetivo publicitário. Por isso, o enorme buzz que a ação gerou, e que resultou em milhões de views e compartilhamentos. Muitos se identificaram com aquela cena, de tentar negociar com a namorada uma partida de futebol. De novo, nota 10 para quem planejou a ação, pois coloca na mesa um debate sobre a questão de gênero, uma pauta essencial, urgente e necessária.

Veja abaixo o vídeo: 

É importante que a publicidade não seja vista somente do ponto de vista mercadológico. Sua importância social, cultural e simbólica também deve ser considerada. A publicidade vende ideologia, estereótipos e preconceitos e ainda se fantasia de um discurso que contribui para a construção de uma versão hegemônica da realidade. A propaganda tem a missão de propor estilos de vida e identidades socialmente desejáveis. E nós consumidores somos sempre convidados a nos identificar para tentarem nos induzir a consumir determinada marca anunciada. Ah, tanto o pessoal da Heineken quanto a moçada da Publicis não estavam no celular durante essa aula, pois eles entenderam perfeitamente a magia do negócio. Nós nos identificamos com os valores do comercial. A publicidade ajuda a construir um complexo conjunto de representações e que expressa identidades, diferenças, subjetividades, projetos, relações, comportamento.

Que outras marcas tenham a ousadia de construir algo similar ao que foi feito. A mensagem central da campanha falou a nossa língua, afinal, ainda que sejam atores devidamente ensaiados e treinados, precisamos acreditar no anúncio para que a vida ali projetada ofereça o sentido genuíno. Heineken é uma potência de marca e que se expressa por meio da propaganda e das narrativas da publicidade. Campanhas de cerveja e a publicidade em geral projetam uma maneira de ser, uma realidade, uma representação das necessidades humanas que inserem o produto na vida cotidiana. Avalio tudo isso com uma grande astúcia da marca, pois ações ousadas como essa humanizam e individualizam cada marca, tornanda-a um elemento que convive no nosso tão complexo universo humano. Palmas para Heineken e Publicis! Saúde!

 


Fonte: Artigos Administradores / Heineken usou atores. Mas foi fail? Claro que não!

Os comentários estão fechados.