Imediatismo na moda: o fortalecimento de um novo formato de venda

Imediatismo na moda: o fortalecimento de um novo formato de venda

Modelo ‘See now, buy now’ ganha força no cenário atual

Na última terça-feira (26/04), segundo dia da 41ª edição do São Paulo Fashion Week, aconteceu o lançamento da coleção assinada por Karl Lagerfeld para a Riachuelo. A fast fashion vem desenvolvendo parcerias com grandes marcas e estilistas há algum tempo, como já fez com a italiana Versace e a brasileiríssima Osklen; porém, nessa última edição, trouxe para o evento o modelo já aplicado em outras semanas de moda: see now, buy now.

O termo em inglês, que pode ser traduzido livremente como “veja agora, compre agora”, caracteriza um novo formato de venda, oferecendo ao público a chance de adquirir, quase que instantaneamente, as peças recém-apresentadas na passarela. Contrário ao modelo tradicional, onde as coleções são disponibilizadas para compra meses após a apresentação, o novo formato visa atender ao impulso de consumo que possa surgir no público no momento pós-desfile, disponibilizando rapidamente as peças em suas lojas físicas, no e-commerce ou na própria passarela, como foi o caso da Riachuelo nessa última edição do SPFW, que levou após o término do desfile araras com a coleção completa, vendedores e caixas para pagamento no próprio local.

Em entrevista ao The New York Times, Christopher Bailey, CEO e diretor criativo da grife inglesa Burberry, defende o novo formato como uma forma de construir uma relação mais próxima entre a marca e o consumidor, por meio da experiência e do encantamento que os desfiles proporcionam no momento em que ocorrem, permitindo que as pessoas interajam e explorem fisicamente as coleções apresentadas, tornando aquilo real e de acesso imediato.

O novo modelo também acompanha as mudanças que vêm acontecendo, principalmente, na comunicação. Em tempos de Instagram e Snapchat, onde bloggers e digital influencers transmitem aos seus seguidores, de forma instantânea, suas experiências como expectadores e compradores, permite-se que o encantamento e o desejo de consumo consigam atingir ainda mais pessoas, excedendo barreiras físicas ou geográficas.

O movimento ainda é recente e oferece certa resistência por parte de diversos estilistas e organizadores de semanas de moda pelo mundo, por questões diversas como processo criativo, desenvolvimento de produto, logística, entre outras; entretanto, traz à tona a necessidade de se repensar novas formas de criar conexões mais fortes junto aos consumidores, como também o ensinamento de que, mesmo setores tradicionais, com modelos de negócios que dão certo, têm a oportunidade de se reinventar.


Fonte: Artigos Administradores / Imediatismo na moda: o fortalecimento de um novo formato de venda

Os comentários estão fechados.