Inovação na medida certa

Inovação na medida certa

A inovação deve sempre ser sinônimo de valor e deve proporcionar um retorno do investimento realizado nos recursos empregado, seja em pessoas ou capital financeiro, para obter essa inovação

Inovação é uma palavra muito usada atualmente. É quase um chavão muito usado por várias empresas. Muitas afirmam que são inovadoras em comerciais e comunicações para o mercado, contudo muitas vezes os próprios gestores desconhecem o conceito central de inovação.

Mas é fato também que hoje muitas empresas entendem que inovar é a saída para obter melhores lucros e se manter no mercado, cada dia mais competitivo e globalizado. Mas, o que é realmente inovar?

A inovação pode ser definida de várias formas. O dicionário Aurélio, ensina que inovação é “Ato de inovar, inserir novidades”. Como se pode perceber é uma definição simples, contudo exprime o principal conceito de inovação.

Muitos não percebem que a inovação pode se dar não somente com o lançamento de novos produtos de alta tecnologia, mas também com alterações dentro de processo produtivo ou de um serviço prestado. A inovação deve sempre ser sinônimo de valor, ou seja, “inovação de valor”. Deve proporcionar um retorno do investimento realizado nos recursos empregado, seja em pessoas ou capital financeiro, para obter essa inovação.

Muitas vezes a inovação não está diretamente ligada a originalidade de uma ideia dentro da sociedade, mas na novidade dentro de uma empresa, desde que gere valor, seja por melhorar ou agregar valor ao produto ou serviço, ou por reduzir os custos relacionados a obtenção deste produto ou serviço.

O caminho de uma empresa que pretende inovar, pode ter várias possibilidades, atalhos e oportunidades. Contudo, é preciso que a alta cúpula da empresa conheça e entenda os tipos de inovação existentes e trace um plano para utilização e apropriação da inovação para aumento da competitividade da empresa no mercado consumidor.

A empresa pode adotar uma estratégia desenvolvedora de tecnologia, investindo em pesquisa de base, não se esquecendo de adotar uma postura de proteção da inovação através de registro da propriedade intelectual por meio de patentes.

Outra possibilidade é a empresa adquirir a patente registrada de um instituto de pesquisa ou outra empresa, licenciamento de patentes, e trabalhar na implementação da tecnologia ou do produto.

Já uma empresa focada na inovação radical deve preferencialmente atender a parcela de consumidor inovador e adotante inicial. Esta parcela de mercado deve estar previstos nos cálculos de retorno de investimento para a implementação do projeto.

Já as empresas com foco em excelência operacional, deve promover um forte programa em inovação do tipo de melhoria continua, visando sempre aprimorar os processos e produtos com o intuito de redução de custos para aumento da competitividade ou de mercado.

Não existem modelos de sucesso de inovação prontos para aplicação. Para cada empresa há que se analisar alguns fatores importantes, mas não somente, a estrutura organizacional, a cultura empresarial e objetivos a curto médio e longo prazo antes da escolha de um modelo de inovação.

Angelo Reck é sócio-fundador da 4C Innovation Consulting, engenheiro mecânico, com mestrado em Engenharia Mecânica e MBA em Gerenciamento de Projetos.


Fonte: Notícias Administradores / Inovação na medida certa

Os comentários estão fechados.