IRPF 2016: o que pode te levar a malha fina?

IRPF 2016: o que pode te levar a malha fina?

Mas afinal, o que pode te levar até a temida malha fina?

A cada ano temos um incremento no poder de cruzamento e verificações de dados por parte da Receita Federal do Brasil e, consequentemente, nas chances do contribuinte que tem o hábito de “enganar” o Fisco cair na temida malha fina do Leão. Se alguma irregularidade for encontrada, o processamento da declaração é interrompido imediatamente para que a mesma seja analisada de forma detalhada pelo Fisco. Neste caso, o contribuinte poderá ser convocado pelo Fisco para prestar esclarecimentos.

Mas afinal, o que pode te levar até a temida malha fina?

  • Declarar gastos com saúde fictícios ou de pessoas que não são dependentes ou alimentandos;
  • Ser autônomo e não informar todas as fontes pagadoras discriminando nome e CPF de cada cliente;
  • Não declarar valores recebidos a título de aluguéis;
  • Realizar compra ou venda de imóveis ou veículos e não informar na declaração;
  • Realizar movimentação bancária e financeira, principalmente por meio de cartões de crédito, incompatíveis com a renda declarada;

Vale lembrar que os órgãos públicos municipais e estaduais também auxiliam a Receita Federal do Brasil no processo de fiscalização, por exemplo, por meio das informações sobre as transações geradoras de valores a pagar de ITBI (Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis) e ITCMD (Imposto sobre Transmissão de Causa Mortis).


Fonte: Artigos Administradores / IRPF 2016: o que pode te levar a malha fina?

Os comentários estão fechados.