IRPF 2016: quais as regras para deduções?

IRPF 2016: quais as regras para deduções?

Mas afinal, quais despesas podem ser deduzidas e quais são os limites?

Para o contribuinte que teve elevados gastos com despesas dedutíveis, a opção pelo modelo completo de declaração, na maioria dos casos, se apresenta como a mais vantajosa.

Mas afinal, quais despesas podem ser deduzidas e quais são os limites?

A dedução mais “clássica” de todas, por dependentes, tem para este ano seu limite estabelecido em R$ 2.275,08. Já as despesas com educação (ensino infantil, fundamental, médio, técnico, superior (graduação e pós-graduação), que incluem matrículas e mensalidades, podem ser deduzidas até o limite de R$ 3.561,50 por contribuinte e/ou dependentes.

Em se tratando de despesas médicas (exames, consultas, internações, etc.), não há limites para a dedução. Contudo, o contribuinte deve ficar atento! Não são todos os gastos com saúde que são dedutíveis.

Para os contribuintes que possuem um ou mais empregados domésticos, é permitida a dedução da Contribuição Patronal incidente sobre a remuneração do empregado (salário, 13º salário, férias, etc.) até o limite de R$ 1.182,20. Nos casos em que há mais de um empregado doméstico contratado ao mesmo tempo, só é permitido realizar a dedução para um empregado (se houve troca por demissão durante o ano-calendário, pode-se efetuar a dedução para ambos).

Doações feitas para instituições (enquadradas de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente, Estatuto do Idoso, Lei Rouanet, Lei de Incentivo ao Esporte, etc.) também poder ser deduzidas, respeitando-se o limite de 6% do valor de IR devido.

Vale lembrar que para efetuar qualquer dedução, o contribuinte deve estar amparado por comprovantes idôneos e os mesmos devem ser guardados pelo prazo de 5 anos.


Fonte: Artigos Administradores / IRPF 2016: quais as regras para deduções?

Os comentários estão fechados.