Jovens alemães criam plataforma que encontra abrigo para refugiados

Jovens alemães criam plataforma que encontra abrigo para refugiados

O Flüchtlinge Willkommen pode ser comparado ao Airbnb, mas, em vez de turistas, ajuda refugiados a encontrar abrigo

Soldado turco carrega corpo de menino morto por afogamento em tentativa de travessia da Turquia para a Grécia.

Ontem (2), a foto de um garotinho sírio encontrado morto numa praia da Turquia (acima) chocou o mundo e viralizou na internet. O seu nome é Aylan Kurdi e sua família, assim como tantos outros sírios, afegãos e iraquianos, tentava escapar das guerras, perseguições e da pobreza que assombram o Oriente Médio e África. Eles estavam a bordo de um pequeno bote com outras 13 pessoas que naufragou.

A imagem tornou-se símbolo da crise migratória europeia que já matou milhares de pessoas e está sendo considerada a pior desde as guerras iugoslavas dos anos 1990. O caso intensificou um importante debate acerca da política da União Europeia quanto à recepção de refugiados e imigrantes em seu território. Mas, antes mesmo da repercussão internacional do “horror da tragédia humana nas margens da Europa”, como descreveu o The Guardian, iniciativas da sociedade civil têm encontrado alternativas para auxiliar essas famílias.

“Airbnb” para refugiados

Um exemplo disso é o Flüchtlinge Willkommen (“Bem-vindos, Refugiados”, em alemão), uma espécie de Airbnb que busca encontrar abrigo para as pessoas que foram obrigadas a deixar seu país. A iniciativa começou quando três jovens alemães, em vez de alugar o quarto vago de seu apartamento em Berlim, o ofereceram como asilo para Bakary, um ourives que fugiu do Mali e estava morando nas ruas da cidade. 

“Ia fazer intercâmbio no Egito e precisava alugar meu quarto durante esse período. Já acompanhava a situação dos refugiados há algum tempo e tive a ideia de proporcionar uma nova casa a alguém, já que faltam abrigos para quem pede asilo atualmente”, disse Mareike Geiling, uma das fundadoras do projeto, em entrevista ao jornal Spiegel Online.

Imigrantes descansam no lado de fora de uma estação ferroviária em Budapeste, na Hungria. Reuters/Bernadett Szabo

Geiling e dois colegas, Jonas Kakosche e Golde Ebding, começaram a recolher doações para cobrir as despesas do aluguel do quarto para Bakary. Em duas semanas, eles arrecadaram o suficiente para pagar seis meses de aluguel. Foi assim que resolveram estender a ação a outras pessoas e em novembro do ano passado a plataforma foi lançada. Desde lá, o Flüchtlinge Willkommen já foi procurado por mais de 1,5 mil pessoas interessadas em oferecer abrigo e já intermediou o aluguel de 80 quatros. Em janeiro, o site foi lançado também na Áustria.

O pagamento do aluguel pode ser realizado de diferentes meios. Os estados alemães oferecem um auxílio mensal para refugiados em situação legal no país, mas, para quem estiver regularizado, os criadores do Flüchtlinge Willkommen oferecem a opção de financiamento coletivo, sistema através do qual colaborados podem fazem doações e pagar a estadia dessas pessoas.

Cuidados

Receber refugiados vai além de um simples preenchimento de formulário online. Apesar do Flüchtlinge Willkommen oferecer a busca por perfis de grupos que tenham um perfil semelhante, nem sempre a vontade de ajudar é o suficiente. É o que alertou a ONG alemã Pro Asyl (Pró-Asilo) à BBC. Devido ao aumento do interesse de pessoas em querer auxiliar de alguma forma essas famílias, a organização de direitos humanos explica que quem quiser abrir as portas de sua casa deve estar preparado para lidar com pessoas de uma realidade sociocultural distinta, que trazem consigo diversos traumas e muito sofreram em seu país.


Fonte: Notícias Administradores / Jovens alemães criam plataforma que encontra abrigo para refugiados

Os comentários estão fechados.