Lei da Inovação e qualificação de recursos humanos

Lei da Inovação e qualificação de recursos humanos

A Lei da Inovação e a geração de empregos qualificados necessários desenvolvimento de São Bento do Sul.

O artigo “Quem é contra a geração de empregos” (Gazeta 06 05 16) comenta sobre muitas das leis e decretos que não garantiram os empregos existentes e inibiram a criação de novos empregos.

A redução de postos de trabalho em São Bento do Sul já foi indicada na reportagem de 28 01 15 “Geração de emprego caiu 63,83% em 2014”. O resultado ruim de dezembro de 2014 foi influenciado, sobretudo, pelo setor industrial, que registrou 517 vagas negativas.

As empresas inovadoras tendem a ganhar mercado e crescer. Essa correta avaliação consta  em texto publicado  em fevereiro de 2 014, na Revista Unespciência; aproveitou “o aniversário de dez anos da própria Lei número  10 973, chamada de Inovação Tecnológica, para discutir o cenário do país de hoje”.

A reportagem “Inovar para que(m)? esclarece que dez anos depois de aprovada a Lei de Inovação, os resultados do Brasil na área ainda engatinham. Especialistas afirmam que há recursos públicos suficientes para mudar esse quadro, mas falta demanda das empresas”.

A realidade de São Bento do Sul pode ser considerada a partir do texto “As leis municipais de inovação: um estudo de Santa Catarina (Outubro de 2015) “

O estudo indicou que “Do total de 13 municípios, oito estão discutindo suas Leis de Inovação (Blumenau, Criciúma, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joaçaba, Rio do Sul, São Bento do Sul e Tubarão). Tubarão, em maio de 2015, colocou em consulta pública sua proposta de Lei de Inovação. Os outros municípios ainda não colocaram suas Leis em discussão pública e estão realizando suas discussões no âmbito da tríplice hélice do Comitê de Implantação dos Centros”.

No site da prefeitura, consta que a Secretaria de Desenvolvimento Econômico tem como atribuições “a promoção do desenvolvimento econômico, o compromisso com o desenvolvimento sustentável, a elevação da competitividade.”.

Glauco J. Côrte da FIESC em 03 02 16 comentou que “muitas ações, nos setores público e privado, são necessárias para que a mudança efetivamente corra. O aprendizado constante das empresas mostra que a inovação não é um processo que ocorre da noite para o dia… os esforços valem a pena para as indústrias e a sociedade”.

Corretamente desenvolvida nos ambientes políticos, econômicos e acadêmicos a implementação dos benefícios da Lei da Inovação será uma lei que contribuirá para a geração de empregos qualificados, essenciais ao desenvolvimento de São Bento do Sul.


Fonte: Artigos Administradores / Lei da Inovação e qualificação de recursos humanos

Os comentários estão fechados.